Polícia

Polícia autua pecuarista por degradação de área protegida de córrego

A PMA (Polícia Militar Ambiental) autuou um pecuarista em R$ 5 mil por degradação de área protegida de córrego por falta de conservação do solo e manter gado acessando a área de proteção nesta sexta-feira (13), em Três Lagoas, cidade a 325 quilômetros de Campo Grande. Após receber denúncias de degradação de áreas protegidas de […]

Diego Alves Publicado em 14/11/2020, às 14h47 - Atualizado às 15h00

Divulgação, PMA
Divulgação, PMA - Divulgação, PMA

A PMA (Polícia Militar Ambiental) autuou um pecuarista em R$ 5 mil por degradação de área protegida de córrego por falta de conservação do solo e manter gado acessando a área de proteção nesta sexta-feira (13), em Três Lagoas, cidade a 325 quilômetros de Campo Grande.

Após receber denúncias de degradação de áreas protegidas de um córrego em uma propriedade rural no município, policiais ambientais autuaram o pecuarista, por degradações ambientais em áreas de matas ciliares em sua fazenda.

De acordo com a polícia, durante a vistoria, foram verificadas degradações ambientais em áreas de matas ciliares de um córrego que corta a fazenda pertencente ao autuado. Inicialmente verificou-se a falta de cuidados com a conservação do solo no local e ainda o gado acessava livremente à vegetação das áreas protegidas do curso d’água.

Segundo a polícia, inclusive, em uma parte brejosa de olhos d’água e o pisoteio estava causando degradações no solo, erosões do tipo ravinas, contribuindo com o assoreamento do córrego. O fazendeiro foi notificado a retirar o gado da área protegida.

O pecuarista (69), residente em Três Lagoas, foi autuado administrativamente e multado em R$ 5 mil. O autuado também poderá responder por crime ambiental de degradação de área de preservação permanente. A pena é de um a três anos de detenção. O infrator foi notificado a apresentar um Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada junto ao órgão ambiental estadual.

Jornal Midiamax