Polícia

Operação Vigia do Ministério da Justiça auxilia MS na redução do crime organizado

A operação Vigia (Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas) em 2019, causou prejuízo de mais de R$ 750 milhões às organizações criminosas, conforme os dados do Ministério da Justiça, que há sete meses, auxilia Mato Grosso do Sul na redução da vitalidade financeira das organizações criminosas, com a Operação Hórus, ferramenta criada pelo […]

Renata Volpe Publicado em 17/05/2020, às 07h43

Apreensão em Dourados de 5,5 toneladas de maconha em meio a uma carga de milho. (Divulgação)
Apreensão em Dourados de 5,5 toneladas de maconha em meio a uma carga de milho. (Divulgação) - Apreensão em Dourados de 5,5 toneladas de maconha em meio a uma carga de milho. (Divulgação)

A operação Vigia (Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas) em 2019, causou prejuízo de mais de R$ 750 milhões às organizações criminosas, conforme os dados do Ministério da Justiça, que há sete meses, auxilia Mato Grosso do Sul na redução da vitalidade financeira das organizações criminosas, com a Operação Hórus, ferramenta criada pelo Estado e que integra o Vigia.

Ainda conforme os dados da Justiça, até abril deste ano, foram apreendidas mais de 125 toneladas de drogas, cerca de 50 milhões de maços de cigarros, 137 embarcações roubadas e mais de 1350 veículos roubados foram recuperados.

O Superintendente de Inteligência de Segurança Pública da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), delegado da Polícia Civil Antônio Carlos Costa Mayer, revela que desde a instalação do programa, já são centenas de operações e ações concretizadas nas fronteiras do Estado. “O Vigia reúne pessoas que já tinham uma expertise de operações táticas, de campo, de policiamento preventivo. Isto contribui para dar robustez à operação”.

Considerada ferramenta essencial do programa, Mayer enfatiza a importância da Operação Hórus em Mato Grosso do Sul. “Tem se mostrado muito eficiente e efetivamente tem aumentado sensivelmente o número de apreensões de drogas, contrabando, veículos roubados e prisões”.

O diretor do DOF (Departamento de Operações de Fronteiras), coronel da Polícia Militar, Marcos Paulo Gimenez, aponta que a Operação Hórus potencializou as ações do Departamento no Estado. “Ocorre por meio de uma maior integração dos policiais com outras forças, com a troca de informações e pela motivação proporcionada em virtude das capacitações realizadas e promessas de novos cursos, além de aquisições de materiais a serem utilizadas pelos policiais no dia a dia”.

Os resultados levantados pelo DOF estão superando as expectativas, segundo o coronel. “Nós registramos a maior apreensão de drogas de toda a história do DOF no ano de 2019, totalizando mais de 107 toneladas de drogas apreendidas”.

O DOF ainda registrou aumento exponencial na apreensão de armas de fogo, agrotóxicos, pneus, cigarros, eletrônicos e têxteis. “Nós também registramos mais de 620 veículos apreendidos, além dos mais de 130 veículos recuperados. Eram produtos de roubos, furtos e apropriações indébitas. Isto totalizou mais de 600 pessoas conduzidas ao sistema prisional em Mato Grosso do Sul”, pontua o diretor.

No Estado, a Operação Hórus é desencadeada pela Secretaria Nacional de Operações Integradas (Seopi) do Ministério de Justiça e Segurança Pública, Sejusp, Polícia Militar Rodoviária, Batalhão de Choque, Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e o Departamento de Operações de Fronteira (DOF). Até o momento somam-se 808 Operações Hórus deflagradas no Estado.

Além de Mato Grosso do Sul, o Vigia foi implantado no Paraná, Acre, Amazonas, Mato Grosso, Rondônia, Roraima – e às divisas de Goiás e de Tocantins. Para 2020, a meta é ampliar sua abrangência aos estados do Amapá, Pará, Rio Grande do Sul e de Santa Catarina e a mais três divisas nacionais.

 (Com assessoria)

Jornal Midiamax