Polícia

Estuprada pelo cunhado em festa, adolescente será ouvida em depoimento especial

Após procurar a delegacia nesta segunda-feira (23) em Três Lagoas, a 333 km da Capital, para denunciar um caso de estupro ocorrido durante festa na piscina, adolescente de 16 anos será ouvida em depoimento especial apenas durante audiência judicial. Já o autor, ainda não tem data marcada para prestar esclarecimentos na delegacia. Segundo a delegada […]

Danielle Errobidarte Publicado em 24/11/2020, às 14h00

Crime aconteceu na piscina da casa do autor, durante festa (Ilustrativa)
Crime aconteceu na piscina da casa do autor, durante festa (Ilustrativa) - Crime aconteceu na piscina da casa do autor, durante festa (Ilustrativa)

Após procurar a delegacia nesta segunda-feira (23) em Três Lagoas, a 333 km da Capital, para denunciar um caso de estupro ocorrido durante festa na piscina, adolescente de 16 anos será ouvida em depoimento especial apenas durante audiência judicial. Já o autor, ainda não tem data marcada para prestar esclarecimentos na delegacia.

Segundo a delegada responsável pelas investigações, Letícia Mobis, da DAM-TL (Delegacia de Atendimento à Mulher de Três Lagoas), a vítima não será ouvida na delegacia novamente após o registro, para garantir os cuidados exigidos em situações como essa. “O procedimento é ouvir menores de idade apenas em audiência judicial, com o método de depoimento especial, para não revitimizar”, explica.

O acusado, que seria o marido da irmã da vítima, responderá por estupro, segundo artigo 213 do Código Penal Brasileiro. Apesar de ser menor de idade, o crime não se enquadra em estupro de vulnerável, válido para adolescentes até 14 anos.

O crime

O abuso teria acontecido na madrugada de segunda-feira (23) quando estavam todos em uma confraternização. Em determinado momento da festa, a irmã da vítima teria ido dormir e o homem aproveitou para começar a se esfregar na cunhada, dentro da piscina.

Segundo o site Rádio Caçula, o autor teria falado para a cunhada fazer sexo oral nele, mas ela se recusou, e ele ainda teria dito que ela “não tinha nada a perder”. A adolescente começou a ficar com medo do homem, que passou a encurralá-la na água.

Jornal Midiamax