Polícia

Dupla presa planejava três assassinatos em Dourados

Os dois homens que foram presos em operação realizada na quarta-feira (8) planejavam três assassinatos  em Dourados. Além disso, segundo a polícia, a dupla pode ter ligações com pelo menos três homicídios que aconteceram nos últimos dias em Dourados. As mortes, segundo informações da polícia, teriam sido encomendadas de dentro de presídios, como parte da […]

Marcos Morandi Publicado em 09/04/2020, às 07h06

A polícia também apreendeu duas pistolas.(Foto:Sidney Lemos)
A polícia também apreendeu duas pistolas.(Foto:Sidney Lemos) - A polícia também apreendeu duas pistolas.(Foto:Sidney Lemos)

Os dois homens que foram presos em operação realizada na quarta-feira (8) planejavam três assassinatos  em Dourados. Além disso, segundo a polícia, a dupla pode ter ligações com pelo menos três homicídios que aconteceram nos últimos dias em Dourados.

As mortes, segundo informações da polícia, teriam sido encomendadas de dentro de presídios, como parte da guerra entre grupos criminosos. As duas pistolas que foram apreendidas com eles serão analisadas pela Perícia Técnica e o exame de balística poderá indicar se elas foram usadas em outros homicídios ocorridos em Dourados nos últimos dias e até nos últimos meses.

A polícia chegou até os dois criminosos depois que um jovem foi ferido a balas no final da tarde em frente à casa dele no Estrela Tovy e testemunhas disseram que um dos pistoleiros seria um homem identificado como Geovani.

A ação foi comandada pelo SIG (Serviço de Investigações Gerais) e contou com a participação de policiais militares da Força Tática.Durante as investigações os policiais chegaram até Rogério Aparecido de Jesus Júnior de 25 anos o Careca e Geovani Mendes da Fonseca de 27 anos, o Chocolate.

Careca seria do Acre e Geovani de Camapuã. Ambos estão no Regime Semiaberto de Dourados por assalto e homicídio. Eles foram localizados pela polícia na residência da tia de Geovani no Jardim Itália. Durante a abordagem, Giovani pegou uma prima de 09 anos, filha da dona da casa, como escudo, para tentar evitar a prisão, mas não conseguiu.

Jornal Midiamax