Polícia

Diretor de indústria é multado por jogar óleo e graxa no solo

A PMA (Polícia Militar Ambiental) autuou diretor de indústria por lançamento de efluentes de óleo e graxas e de material fundido poluindo o solo. De acordo com a polícia, durante fiscalização ambiental em Paranaíba, no distrito industrial daquela cidade, uma equipe da PMA de Aparecida do Taboado autuou o diretor de uma indústria por poluição. […]

Diego Alves Publicado em 10/02/2020, às 22h44 - Atualizado em 11/02/2020, às 07h32

Divulgação PMA
Divulgação PMA - Divulgação PMA

A PMA (Polícia Militar Ambiental) autuou diretor de indústria por lançamento de efluentes de óleo e graxas e de material fundido poluindo o solo. De acordo com a polícia, durante fiscalização ambiental em Paranaíba, no distrito industrial daquela cidade, uma equipe da PMA de Aparecida do Taboado autuou o diretor de uma indústria por poluição.

Em vistoria na área da indústria de fundição de ferros, os policiais verificaram a poluição do solo por resíduos de uma substância oleosa, produto da área interna da planta industrial, que eram lançados diretamente ao solo.

A empresa não possuía sistema de tratamento para receber os efluentes de graxas e óleos, que lançados ao solo causavam poluição, com riscos de contaminação do lençol freático. As atividades foram interditadas e o diretor da indústria foi notificado a remover todo o material contaminante e a regularizar um sistema adequado de tratamento dos efluentes.

O diretor da indústria responsável pela a atividade, foi autuado administrativamente e multado em R$ 5 mil  e foi notificado a realizar as medidas para a recuperação do dano, bem como a descontaminação da área afetada. Os responsáveis também poderão responder por crime ambiental, com pena prevista de um a quatro anos de reclusão.

Jornal Midiamax