Polícia

Criança de 2 anos que teve 90% do corpo queimado morre na Santa Casa

O menino de 2 anos, que teve 90% do corpo queimado em um incêndio em um apartamento no Residencial Zenóbio dos Santos, no bairro Lageado, em Campo Grande, morreu durante a madrugada desta segunda-feira (1º), no hospital Santa Casa. Segundo a assessoria de comunicação do hospital, o menino não resistiu aos ferimentos e morreu por […]

Thatiana Melo Publicado em 01/06/2020, às 06h26 - Atualizado às 17h12

Menino morreu durante a madrugada desta segunda-feira (1º) (Renan Nucci, Midiamax)
Menino morreu durante a madrugada desta segunda-feira (1º) (Renan Nucci, Midiamax) - Menino morreu durante a madrugada desta segunda-feira (1º) (Renan Nucci, Midiamax)

O menino de 2 anos, que teve 90% do corpo queimado em um incêndio em um apartamento no Residencial Zenóbio dos Santos, no bairro Lageado, em Campo Grande, morreu durante a madrugada desta segunda-feira (1º), no hospital Santa Casa.

Segundo a assessoria de comunicação do hospital, o menino não resistiu aos ferimentos e morreu por volta da 1 hora da madrugada desta segunda (1º). A criança teve 90% do corpo queimado. Ele se queimou durante uma brincadeira com um isqueiro.

O fogo começou depois que uma criança estava brincando com um isqueiro e as chamas se alastrarem por um dos quartos do apartamento. No quarto tinha muitos materiais recicláveis, como pneus, papeis, latinhas e outros itens, de fácil combustão.

As chamas se alastraram rapidamente e uma das crianças sofreu ferimentos leves, sendo encaminhada à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) das Moreninhas, e está fora de risco. Já a criança que teve 90% do corpo atingido pelas chamas foi conduzida até a UPA Universitário, e depois levada para a Santa Casa.

As chamas foram apagadas pelos próprios moradores do residencial, com uso de nove extintores de incêndio. Após serem acionados, os bombeiros fizeram o rescaldo da estrutura e prestaram socorro às vítimas. A perícia foi acionada para identificar a origem das chamas e, a Defesa Civil, para avaliar eventuais danos estruturais.

Jornal Midiamax