Polícia

Caso de polícia: gata é morta e pendurada em muro de protetoras de animais

A Polícia Civil de Bodoquena, a 260 quilômetros de Campo Grande, investiga o caso de uma gata que foi morta e pendurada no muro de duas protetoras de animais. Mãe e filha mantêm um projeto social independente chamado “Anjos de Patas”. “Em nossa casa fazemos o trabalho de lar temporário com 10 cachorros e 18 […]

Gabriel Maymone Publicado em 29/09/2020, às 13h14 - Atualizado em 30/09/2020, às 08h46

Animal morto foi pendurado no muro da protetora, que acionou a polícia. (Foto: Arquivo Pessoal, Luara Rocco)
Animal morto foi pendurado no muro da protetora, que acionou a polícia. (Foto: Arquivo Pessoal, Luara Rocco) - Animal morto foi pendurado no muro da protetora, que acionou a polícia. (Foto: Arquivo Pessoal, Luara Rocco)

A Polícia Civil de Bodoquena, a 260 quilômetros de Campo Grande, investiga o caso de uma gata que foi morta e pendurada no muro de duas protetoras de animais.

Mãe e filha mantêm um projeto social independente chamado “Anjos de Patas”. “Em nossa casa fazemos o trabalho de lar temporário com 10 cachorros e 18 gatos”, disse Luara Rocco. Assim, animais resgatados ficam na casa das protetoras até que encontre alguém para adotá-los.

Além disso, a gata morta “estava amamentando e deixou três filhotes”, lamentou a protetora.

A Polícia Civil registrou boletim de ocorrência e investiga o caso.

“O ser humano está cada vez mais cheio de ódio no coração. As pessoas têm que tomar ciência desses ocorridos porque quem faz isso com um animal pode fazer com um ser humano também”. Luara, protetora de animais

Jornal Midiamax