Polícia

Associação defende manutenção de escala que garanta descanso a PMs

A ACS PM BM MS (Associação e Centro Social dos Policiais Militares e Bombeiros Militares de Mato Grosso do Sul) é favorável à manutenção da escala de trabalho de policiais militares no formato de 24 horas de expediente por 72 horas de descanso.  O assunto virou alvo de debate entre os servidores nos últimos dias, […]

Renan Nucci Publicado em 03/11/2020, às 16h51

Representantes do Comando da PM e da Associação durante reunião. Foto: Assessoria
Representantes do Comando da PM e da Associação durante reunião. Foto: Assessoria - Representantes do Comando da PM e da Associação durante reunião. Foto: Assessoria

A ACS PM BM MS (Associação e Centro Social dos Policiais Militares e Bombeiros Militares de Mato Grosso do Sul) é favorável à manutenção da escala de trabalho de policiais militares no formato de 24 horas de expediente por 72 horas de descanso. 

O assunto virou alvo de debate entre os servidores nos últimos dias, após informações de que o Comando-Geral planejava alterar a escala, deixando para 12hx24h, como forma de evitar que praças tivessem tempo o bastante para realizar serviços extras, os famosos ‘bicos’.

De acordo com o cabo Mário Sérgio Couto, presidente da associação, é importante que se mantenha o cronograma atual dos turnos, tendo em vista que muitos policiais vivem em um cidade e prestam serviço em outra. “Se diminuísse o horário das escalas, não haveria tempo o bastante para descanso por conta do deslocamento”, explicou. 

O cabo disse ainda que no dia 29 de setembro participou de uma reunião com o coronel Marcos Paulo Gimenez, comandante-geral da Polícia Militar em MS, Chefe do Estado Maior, comandantes regionais e diretores da A ACS PM BM MS.

Naquela oportunidade foi discutida a mudança de escala para 12hx24h e 12hx48h. A Associação entendeu que eventual mudança não interferiria proporcionalmente no que diz respeito às horas trabalhadas e descanso, mas ponderou a necessidade de considerar os militares que trabalham em outras cidades.

“Entendemos crucial definir e assegurar o devido período de descanso a nossos valorosos policiais militares, sendo que se efetivada a alteração da escala para maneira proposta, o período de descanso será fracionado. Ainda, levando em consideração que muitos de nossos policiais militares residem em localidade diversa daquela que prestam serviço, o tempo de deslocamento para o cumprimento da escala, consequentemente, interferiria no período de folga”, considerou.

Mudanças

Conforme já noticiado, o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul estaria estudando junto com oficiais da PM alterar a escala de trabalho dos ‘praças’, que são os soldados, cabos e sargentos da corporação, a fim de evitar o ‘bico’, serviço realizado no horário de folga e que serve para complementar a renda. De acordo com soldados e cabos, uma reunião que estaria marcada para o próximo dia 5 de novembro com os tenentes-coronéis definirá o assunto.

No entanto, nesta semana, oficiais já discutiram a possibilidade no Quartel do Comando Geral, o que revoltou a corporação. Atualmente, os policiais fazem escala de 24 horas trabalhadas por 72 horas de folga, permitindo a realização de trabalhos nesse período de folga.

A corporação estaria discutindo o retorno de das outras duas modalidades: 12 horas trabalhadas por 24 horas de folga e 12 horas trabalhadas por 48 horas de folga, diminuindo o tempo de descanso, que abriria brecha para o policial complementar a renda. No entanto, o Comando da PM descartou qualquer alteração na escala de trabalho dos praças da corporação, ao menos neste ano.

Jornal Midiamax