Polícia

Vítima de acidente, Jhonatan sonhava com promoção e queria comprar carro

Vítima de acidente fatal ocorrido na madrugada de domingo, em Campo Grande, Jhonatan dos Santos Salina, de 22 anos, tinha vários sonhos comuns para um jovem de sua idade. O rapaz trabalhava em uma empresa de instalação e manutenção de piscinas e guardava dinheiro para comprar um carro no ano que vem. O objetivo era […]

Renan Nucci Publicado em 10/12/2019, às 16h59 - Atualizado em 11/12/2019, às 10h36

Jhonatan em foto ao lado da mãe. Foto: Divulgação
Jhonatan em foto ao lado da mãe. Foto: Divulgação - Jhonatan em foto ao lado da mãe. Foto: Divulgação

Vítima de acidente fatal ocorrido na madrugada de domingo, em Campo Grande, Jhonatan dos Santos Salina, de 22 anos, tinha vários sonhos comuns para um jovem de sua idade. O rapaz trabalhava em uma empresa de instalação e manutenção de piscinas e guardava dinheiro para comprar um carro no ano que vem. O objetivo era dar mais conforto no transporte do filho, que completou um mês de idade no dia em que o pai morreu.

A mãe, Elizabeth Oliveira, de 39 anos, relata que morava sozinha com o filho Jhonatan no Parque do Sol.  “Agora as coisas estão difíceis, porque de dia ficam as pessoas aqui, mas quando todos vão embora, ficam só eu e as coisas dele”, afirma. Ela conta que na noite do acidente, Jhonatan havia ido a uma festa para encontrar com amigos. “Ele não bebeu. Na hora de voltar, os amigos ficaram na festa e ele voltou sozinho, quando aconteceu o acidente”.

Jhonatan era mecânico de motos, mas estava trabalhando na empresa de manutenção de piscinas. Em pouco tempo ele recebeu uma promoção, gostava do que fazia e sonhava com outra promoção para o ano que vem. Além disso, era o responsável pelo sustento da casa, já que a mãe tem problema de saúde no braço. “O bebê chora muito, parece que sente o que aconteceu. Meu filho também estava planejando comprar uma casa em breve”.

Agora, Elizabeth tenta encontrar uma testemunha que ajudou a socorrer o filho dela. Esta pessoa seria um motorista de aplicativo que, conforme o funcionário de um lava-jato nas imediações, foi o responsável pelo acionamento do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). “Quero que esse motorista seja testemunha em favor do meu filho, no processo do Dpvat. Quero que ajude a esclarecer o que aconteceu”, comentou a mãe. 

O acidente

Investigadores da Quinta Delegacia de Polícia Civil encontraram o condutor que se envolveu no acidente com Jhonatam. O jovem transitava em uma moto e morreu após colisão no cruzamento da Avenida Campestre com a Rua Sabrina, região do Bairro Aero Rancho.

Jhonatam seguia em uma motocicleta que chocou-se com um veículo Chevrolet Corsa Sedan, dirigido por um motorista de ônibus de 40 anos. Temendo por sua integridade física, o motorista saiu do local, porém, ele disse na delegacia que retornou ao cruzamento após 30 minutos, mas não havia ninguém.

O motorista contou que transitava na Avenida Campestre no sentido leste – oeste, quando houve a batida contra a moto, que seguia no sentido contrário. O motorista falou que não viu a moto se aproximando, no momento em que fez conversão à esquerda para entrar na Rua Sabrina, quando houve o acidente. A moto de Jhonatan bateu na porta do passageiro do Corsa durante a conversão do carro.

Jornal Midiamax