Polícia

Suspeito finge ajudar cliente de banco, furta cartão e gasta mais de R$ 9 mil

Na manhã desta segunda-feira (9) idoso de 69 anos procurou a polícia para denunciar que teve o cartão furtado dentro da agência bancária. O fato aconteceu na Rua Maracaju, no Centro de Campo Grande, e a vítima perdeu mais de R$ 9 mil após o furto. Segundo informações do boletim de ocorrência, na manhã de […]

Renata Portela Publicado em 09/09/2019, às 10h16 - Atualizado às 10h59

Registro de boletim de ocorrência foi feito na Depac Centro, em Campo Grande. (Arquivo, Midiamax)
Registro de boletim de ocorrência foi feito na Depac Centro, em Campo Grande. (Arquivo, Midiamax) - Registro de boletim de ocorrência foi feito na Depac Centro, em Campo Grande. (Arquivo, Midiamax)

Na manhã desta segunda-feira (9) idoso de 69 anos procurou a polícia para denunciar que teve o cartão furtado dentro da agência bancária. O fato aconteceu na Rua Maracaju, no Centro de Campo Grande, e a vítima perdeu mais de R$ 9 mil após o furto.

Segundo informações do boletim de ocorrência, na manhã de domingo (8) o homem estava na agência bancária para tirar um extrato. Durante o procedimento o cartão fico preso na máquina, momento em que se aproximou um homem, segundo relato da vítima baixo, com barba, bem vestido, branco e meio gordo.

O suspeito se prontificou a ajudar a vítima e apertou um botão que liberou o cartão da máquina, dizendo que o cartão estava bloqueado. Durante a conversa, o idoso não percebeu o momento em que o golpista trocou o cartão dele e foi embora.

Quando a vítima foi usar o cartão para fazer compras, aproximadamente 40 minutos após o ocorrido, notou que o cartão estava no nome de uma mulher. Ele pediu o cancelamento do cartão, mas o autor já tinha feito várias compras, totalizando um prejuízo de R$ 9.761,46.

O caso foi registrado como furto qualificado com abuso de confiança, ou mediante fraude ou escalada e destreza na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro.

Caso semelhante

Em agosto deste ano José Sales de Souza e Janderson da Silva Ramos foram presos pela 1ª Delegacia de Polícia Civil da Capital por cometerem o mesmo tipo de crime. Eles se passavam por funcionários de banco e geralmente aproveitavam para cometerem os crimes durante os finais de semana, quando as agências estavam fechadas.

Da mesma forma como o caso registrado nesta segunda-feira, os golpistas trocavam os cartões das vítimas e usavam para fazerem várias compras. Eles viajavam por várias cidades do país aplicando o mesmo golpe.

Jornal Midiamax