Polícia

Quinto suspeito de participar de execução no Jardim Centro-Oeste é preso

Homem de 49 anos  foi preso pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar na manhã desta quarta-feira (31), em Campo Grande, por envolvimento na morte de Bruno Schon Pacheco, executado em tribunal do crime na segunda-feira, na região do Jardim Centro-Oeste. Segundo a PM, o suspeito foi localizado em imóvel na Rua Aucélio Souza Castro, […]

Renan Nucci Publicado em 31/07/2019, às 13h31 - Atualizado às 14h02

Local onde a vítima foi assassinada no Jardim Centro-Oeste. Foto: Leonardo de França
Local onde a vítima foi assassinada no Jardim Centro-Oeste. Foto: Leonardo de França - Local onde a vítima foi assassinada no Jardim Centro-Oeste. Foto: Leonardo de França

Homem de 49 anos  foi preso pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar na manhã desta quarta-feira (31), em Campo Grande, por envolvimento na morte de Bruno Schon Pacheco, executado em tribunal do crime na segunda-feira, na região do Jardim Centro-Oeste.

Segundo a PM, o suspeito foi localizado em imóvel na Rua Aucélio Souza Castro, no Jardim Los Angeles. Após denúncia, os policiais foram ao local. Percebendo a aproximação da viatura, o homem jogou o celular no chão e destruiu o aparelho.

Durante verificação, os policiais constataram que contra ele havia mandado de prisão por evasão do presídio. Questionado sobre se teria participado da execução, disse que apenas fez parte da “conferência” do tribunal do crime. Ele foi entregue à Polícia Civil.

Durante a madrugada, quatro rapazes ligados ao PCC (Primeiro Comando da Capital) foram presos pelo GOI (Grupo de Operações Investigação), pela morte de Bruno. O crime ocorreu em área de vegetação na Rua Maria de Lourdes Vieira de Matos.

Foram presos Denilson Ramires Cardoso, conhecido como ‘Caverna’, Jeferson Silva Custódio, conhecido como ‘Alemão’, Carlos Eduardo Osório Martins, Igor de Oliveira Porto. Um adolescente de 17 anos também foi apreendido. O carro usado, um veículo Volkswagen Golf de cor dourada usado para levar Bruno até o local de seu assassinato também foi apreendido pela polícia.

Bruno teria sido capturado pelo grupo e levado até uma residência no bairro Paulo Coelho Machado onde ficou em cárcere privado até o seu julgamento na área de vegetação do Jardim Centro-Oeste sendo degolado pelos membros da facção criminosa. No dia 2 deste mês, ele já havia sido sequestrado, mas foi resgatado pela PM.

Jornal Midiamax