Polícia

Presos em operação contra pedofilia pagam fiança e são soltos horas após serem detidos

Horas depois de serem detidos, todos os investigados presos durante operação da Polícia Federal contra pedofilia nesta quarta-feira (7), pagaram fiança e ganharam liberdade. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação da PF, que não informou o valor da fiança pago pelos suspeitos. A operação percorreu cinco cidades de Mato Grosso e prendeu cinco […]

Clayton Neves Publicado em 07/02/2019, às 15h16 - Atualizado em 08/02/2019, às 08h21

Foto: Marcos Ermínio
Foto: Marcos Ermínio - Foto: Marcos Ermínio

Horas depois de serem detidos, todos os investigados presos durante operação da Polícia Federal contra pedofilia nesta quarta-feira (7), pagaram fiança e ganharam liberdade. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação da PF, que não informou o valor da fiança pago pelos suspeitos.

A operação percorreu cinco cidades de Mato Grosso e prendeu cinco pessoas, sendo que uma delas foi detida no início das investigações, em abril de 2018. Um militar da marinha está entre os presos e era membro de uma entidade beneficente que trabalha com adolescentes.

Em Campo Grande quatro pessoas foram presas, um comerciante, de 40 anos, um assistente de serviços gerais, de 29 anos, e um militar da marinha, de 65 anos. Já em Naviraí, um servidor público estadual, de 49 anos foi preso com material pornográfico de crianças e adolescentes. O preso no início das investigações foi encontrado na cidade de Jardim.

Foram apreendidas cerca de 300 mídias com cada alvo, um total de 1.500 mídias com material pornográfico. Todo material será periciado. Segundo o delegado de combate ao crime organizado, Fabrício Martins Rocha, disse que a PF desenvolveu um software para encontrar pedófilos encontrando o local onde as mídias são armazenadas.

Jornal Midiamax