Polícia

Preso que cumpre pena por estupro confessa que quebrou pescoço de traficante em presídio

A Polícia Civil esclareceu nesta quarta-feira (28) um homicídio ocorrido dentro de uma das celas do Centro Penal Agoindustrial da Gameleira, em Campo Grande, no dia 14 de junho. O caso foi investigado pela 5ª Delegacia de Polícia Civil da Capital e o suspeito pelo crime foi identificado como Franquilin Vieira de Carvalho, 48 anos, […]

Dayene Paz Publicado em 29/08/2019, às 14h48 - Atualizado às 15h09

(Arquivo, Jornal Midiamax)
(Arquivo, Jornal Midiamax) - (Arquivo, Jornal Midiamax)

A Polícia Civil esclareceu nesta quarta-feira (28) um homicídio ocorrido dentro de uma das celas do Centro Penal Agoindustrial da Gameleira, em Campo Grande, no dia 14 de junho. O caso foi investigado pela 5ª Delegacia de Polícia Civil da Capital e o suspeito pelo crime foi identificado como Franquilin Vieira de Carvalho, 48 anos, que cumpre pena de 18 anos por estupro.

Gedilson de Souza, 28 anos, cumpria pena por tráfico de drogas e foi encontrado pelos agentes, dentro da cela que dividia com mais 15 detentos, com duas vértebras do pescoço fraturadas e já sem vida.

Conforme apurado pela Polícia Civil, durante uma briga, ao tentar imobilizar Gedilson, o suspeito foi mordido no braço esquerdo e derrubou Gedilson no chão, quando foi novamente mordido, desta vez no pé direito. Franquilin, com a vítima já imobilizada e caída no chão, pisou no pescoço do companheiro de cela, causando fraturas em duas vértebras e por consequência a morte.

Os policiais desconfiaram de Franquilin, porque ele apresentava queimaduras no braço e pé. Após entrar em contradições durante o interrogatório realizado nesta quarta-feira, Franquilin confessou o crime e disse que queimou as mordidas para tentar cauterizar os ferimentos. Ele foi indiciado por homicídio simples e segue preso à disposição da Justiça.

Jornal Midiamax