Polícia

Polícia investiga se vendedor foi morto com facadas por vingança

A Polícia Civil não descarta vingança para o assassinato de Valério Encina, de 47 anos, morto com 14 facadas na madrugada da última quinta-feira (18), no Jardim Leblon, em Campo Grande. Segundo o delegado Edmilson Holler, da 6º Delegacia de Polícia Civil, não é descartado nem vingança e nem crime passional pela quantidade de facadas […]

Thatiana Melo Publicado em 22/04/2019, às 10h52 - Atualizado às 10h56

None

A Polícia Civil não descarta vingança para o assassinato de Valério Encina, de 47 anos, morto com 14 facadas na madrugada da última quinta-feira (18), no Jardim Leblon, em Campo Grande.

Segundo o delegado Edmilson Holler, da 6º Delegacia de Polícia Civil, não é descartado nem vingança e nem crime passional pela quantidade de facadas desferidas contra Valério, que foi atingido no tórax, braço, pescoço e rosto.

Ainda segundo Holler nesta semana o companheiro de Valério deve ser ouvido e o caso deve seguir sendo investigado em segredo de Justiça. Antes de ser assassinado, o vendedor havia saído por volta das 4 horas da madrugada de sexta (18) para comprar bebidas alcoólicas não retornando para casa.

Câmeras de segurança de um comércio, que fica na rua Clineu Moraes da Costa gravaram o momento em que Valério já ferido perde o controle do carro e sobe na calçada. Um motorista de aplicativo que passava pelo local e achou a situação estranha acionou o Corpo de Bombeiros ao ver a vítima ferida no interior do veículo, um Ford Fiesta.Polícia investiga se vendedor foi morto com facadas por vingança

Após ser acionada, a polícia verificou que documentos pessoais, carteira e bens de valor encontravam-se no veículo, sendo descartada a hipótese de roubo.

Jornal Midiamax