Polícia

Pais suspeitos de espancar bebê afirmam que filha tem doença rara

Os pais de uma criança de três meses, que deu entrada na Santa Casa de Campo Grande, com várias lesões e clavícula quebrada, afirmaram em depoimento na polícia, que a filha possui uma doença rara e citou como exemplo a queda da unha da criança, que teria uma bactéria. O caso aconteceu em Camapuã, distante […]

Dayene Paz Publicado em 02/04/2019, às 15h09 - Atualizado em 04/04/2019, às 13h21

(Foto: Arquivo Midiamax)
(Foto: Arquivo Midiamax) - (Foto: Arquivo Midiamax)

Os pais de uma criança de três meses, que deu entrada na Santa Casa de Campo Grande, com várias lesões e clavícula quebrada, afirmaram em depoimento na polícia, que a filha possui uma doença rara e citou como exemplo a queda da unha da criança, que teria uma bactéria.

O caso aconteceu em Camapuã, distante 145 km de Campo Grande. Os pais foram presos na última quarta-feira (27) após serem ouvidos na delegacia de Polícia Civil da cidade.A mãe de 21 anos e o pai, de 25, afirmaram que a bebê tem uma bactéria na unha e também, alguns dias após nascida, manchas teriam aparecido no corpo dela.

Os pais também afirmaram que foram mandados embora de outro trabalho que faziam como chacareiros, porque levaram a filha quatro vezes ao médico. O diagnóstico, segundo a mãe, seria anemia aguda. A Polícia Civil já solicitou os prontuários para confirmar as informações dos pais.

A criança passou por cirurgia na Santa Casa de Campo Grande. A bebê, que está com uma fratura no dedo da mão esquerda passou por uma cirurgia de desbridamento – retirada de pele morta – na mão por causa de uma infecção decorrente da lesão. Ela ainda está com a clavícula quebrada.

A criança deu entrada no hospital da Capital acompanhada pelo avô materno. O Conselho Tutelar do município de Camapuã acompanha o caso.

Jornal Midiamax