Polícia

Pais sabiam que menina de 15 anos era estuprada por cunhado e podem ser responsabilizados

Os pais da menina de 15 anos que era estuprada pelo cunhado de 33 anos sabiam do crime e não denunciaram a polícia o que estava acontecendo podendo ser responsabilizados, segundo a delegada da Depca (Delegacia Especializada de Atendimento à Criança e ao Adolescente), Anne Karine. De acordo com a delegada a menina era estuprada […]

Thatiana Melo Publicado em 01/08/2019, às 12h00 - Atualizado às 13h11

(Foto: Arquivo, Midiamax)
(Foto: Arquivo, Midiamax) - (Foto: Arquivo, Midiamax)

Os pais da menina de 15 anos que era estuprada pelo cunhado de 33 anos sabiam do crime e não denunciaram a polícia o que estava acontecendo podendo ser responsabilizados, segundo a delegada da Depca (Delegacia Especializada de Atendimento à Criança e ao Adolescente), Anne Karine.

De acordo com a delegada a menina era estuprada pelo cunhado há pelo menos 3 anos, tanto no caminho da escola como também dentro de casa. Ela teria contado primeiramente o que acontecia a um professor da sua escola e a alguns colegas. Após isso a direção da escola foi avisada.

E a direção da instituição de ensino chamou os pais, que contaram saber que a filha era estuprada, mas por outro homem e não pelo marido da irmã da adolescente. A garota era ameaçada constantemente pelo autor, que afirmava que iria matá-la caso contasse o que estava acontecendo.

Como os pais não fizeram a denúncia, a polícia foi acionada e durante o depoimento da adolescente ela confirmou os estupros em prantos afirmando que não aguentava mais a situação em que vivia.

O professor e os colegas para quem ela contou sobre os estupros foram ouvidos na semana passada, assim como, o suspeito pelo crime que negou os abusos. A delegada contou que o homem seria o único que estaria trabalhando na família, e que a omissão dos pais pode ter relação com a condição financeira e que estavam vivendo.

A delegada ainda frisou que os pais podem ser indiciados por estupro de vulnerável na modalidade omissão. O suspeito foi indiciado por estupro de vulnerável. Foi feito o pedido ao MPMS (Ministério Público Estadual) para o acolhimento da menina.

Jornal Midiamax