Polícia

Lutador condenado ganha pena recalculada e transferência

Condenado a 10 anos de prisão por matar o hóspede de um hotel no centro de Campo Grande, o lutador Rafael Martinelli Queiroz teve a data base da pena recalculada como consequência de uma falta grave cometida no Instituto Penal, onde encontra-se recolhido. No dia 3 de outubro de 2017, ele se envolveu em briga […]

Renan Nucci Publicado em 10/04/2019, às 14h53 - Atualizado às 17h09

None

Condenado a 10 anos de prisão por matar o hóspede de um hotel no centro de Campo Grande, o lutador Rafael Martinelli Queiroz teve a data base da pena recalculada como consequência de uma falta grave cometida no Instituto Penal, onde encontra-se recolhido. No dia 3 de outubro de 2017, ele se envolveu em briga no pátio com Luiz Alves Martins Filho, o Nando, preso por coordenar grupo de extermínio na região do Danúbio Azul.

Após a confusão, a Agepen (Agência Estadual de Administração Penitenciária), instaurou PAD (Procedimento Administrativo Disciplinar) para apurar as circunstâncias. A defesa de Rafael alegou que ele apenas tentou separar a briga de Nando com outro interno. No entanto, a Justiça não se convenceu desta versão. Nando foi transferido e Rafael teve o pedido de transferência para um presídio de São Paulo travado por desta investigação.

De acordo com o juiz Mário José Esbalqueiro Júnior, da 1ª Vara de Execução Penal da Capital, o cometimento da falta grave acarreta o reinício da contagem do lapso temporal necessário ao requisito para a concessão da progressão de regime. Ou seja, o lutador terá que esperar mais tempo para ter acesso a uma prisão em regime semiaberto, pois a data base foi alterada. A contagem, antes iniciada no dia 15 de abril de 2015, foi zerada e passa a contar a partir do dia 3 de outubro de 2017, dia da briga com Nando.

A data base é usada para calcular os benefícios, porém, o tempo de pena não foi alterado. Dos dez anos, ele cumpriu três anos e 11 meses até agora e poderia ter direito ao regime semiaberto neste ano, mas como a data base foi alterada, a previsão é de que possa ter progressão somente em outubro do ano que vem, podendo ficar em liberdade condicional a partir de dezembro de 2021.

Transferência

O juiz Mário José também deferiu a transferência de Rafael para um presídio de Araçatuba (SP), em caráter de permuta. Ele é natural de Valparaíso (SP) e, na data do crime, estava em Campo Grande para participar de um campeonato de jiu-jitsu. Ele pediu transferência para ficar perto da família. Em contrapartida, Maycon Coutinho Coelho, preso em Araçatuba, será trazido para Mato Grosso do Sul, pois é natural do estado.

A expectativa é que Rafael seja transferido para o interior do São Paulo em até 30 dias.

Homicídio

Em 18 de abril de 2015, Rafael teve uma discussão com a namorada, em um dos quartos do hotel, e agrediu a jovem, que estava grávida de dois meses na época. Ela fugiu em seguida e Rafael saiu, arrombando as portas de outros quartos. O hóspede Paulo Cezar de Oliveira estava hospedado em um dos cômodos e foi agredido pelo lutador a golpes de cadeira, morrendo no local. A vítima estava na Capital a trabalho.

Jornal Midiamax