Polícia

Justiça decreta prisão preventiva de envolvidos em roubo de caminhão

A justiça manteve a prisão de Vicência Corrêa e de Hernani David de Souza, envolvidos em roubo de caminhão ocorrido em Campo Grande e que terminou com a morte do adolescente Alexandre Tavares de Araújo, de 17 anos, em confronto com a polícia. Durante audiência de custódia nesta segunda-feira (29), o juiz de plantão, Ricardo […]

Renan Nucci Publicado em 29/04/2019, às 13h42 - Atualizado às 14h41

Foto: Marcos Ermínio
Foto: Marcos Ermínio - Foto: Marcos Ermínio

A justiça manteve a prisão de Vicência Corrêa e de Hernani David de Souza, envolvidos em roubo de caminhão ocorrido em Campo Grande e que terminou com a morte do adolescente Alexandre Tavares de Araújo, de 17 anos, em confronto com a polícia. Durante audiência de custódia nesta segunda-feira (29), o juiz de plantão, Ricardo Gomes façanha, converteu em preventiva a prisão em flagrante de ambos. Além disso, outro adolescente, irmão de Alexandre, teve a internação provisória decretada.

Conforme noticiado, na última sexta-feira (26) um motorista de caminhão foi contratado por aplicativo de celular para a realização de um frete, ficando combinado que se encontraria com o contratante naquela mesma tarde no bairro Indubrasil, na Capital. Tratava-se, contudo, de uma armadilha de assaltantes para roubar seu veículo e levá-lo até a Bolívia.

Deste modo, no local e hora combinado, o motorista foi rendido por um adolescente portando arma de fogo e seu irmão. Eles o amarraram, vendaram-no, amordaçaram-no e levaram-no até um hotel na região central de Campo Grande, onde seria mantido em cárcere privado até que o caminhão cruzasse a fronteira pela cidade de Corumbá.

Já no hotel, os assaltantes teriam sido recebidos pela dona do estabelecimento, Vicência, que sabia da ação e tinha sido instruída por seu marido que está preso no Instituto Penal de Campo Grande, por tráfico de drogas. A mulher os levou até um quarto localizado no fundo do hotel.

Enquanto o irmão permanecia no local com a vítima, o menor infrator encontrou-se com Hernani, outro motorista contratado para transportar o caminhão. Juntos, dirigiram-se até o veículo que ainda estava parado na região de Indubrasil. Todavia, a polícia militar, já avisada pela denúncia anônima de um homem que teria visto o momento em que o motorista havia sido rendido, os surpreendeu.

Informada do local onde estava o proprietário do caminhão, a guarnição da polícia foi até o hotel. Houve troca de tiros e Alexandre foi atingido, socorrido, mas não resistiu. Já na delegacia, irmão menor contou que teria sido contratado na semana anterior, pela quantia de R$ 10 mil, para realizar o roubo. Quem teria oferecido o serviço seria um homem de alcunha “Colombiano”, mas que não o conheceu pessoalmente, só tendo conversado com ele por aplicativo de celular.

Já o motorista preso alegou desconhecer totalmente a origem ilícita do caminhão e que também teria conversado apenas por mensagens com um homem que se dizia representante de uma transportadora. Ele receberia a quantia de R$ 3 mil para levar o caminhão até Corumbá.

Jornal Midiamax