Polícia

Grupo ligado a furtos em Campo Grande vendia produtos a comerciante

O GOI (Grupo de Operações e Investigações) da Polícia Civil de Campo Grande prendeu nesta quinta-feira, três homens suspeitos de cometerem série de furtos a residências e comércios de Campo Grande. Os homens identificados como A.F. de S., de 21 anos, E.R.K, 32, e R.G. da S. S., 36, estavam com objetos como televisores, eletrodomésticos […]

Renan Nucci Publicado em 02/05/2019, às 19h07

None

O GOI (Grupo de Operações e Investigações) da Polícia Civil de Campo Grande prendeu nesta quinta-feira, três homens suspeitos de cometerem série de furtos a residências e comércios de Campo Grande. Os homens identificados como A.F. de S., de 21 anos, E.R.K, 32, e R.G. da S. S., 36, estavam com objetos como televisores, eletrodomésticos e eletrônicos. Um deles,inclusive, é dono de uma loja celulares e receptava as mercadorias.

Segundo boletim de ocorrência, a partir do furto de uma residência, as equipes iniciaram iniciaram trabalhos de apuração e descobriram que A.F. de S. era um dos suspeitos e que poderia estar associado a outros casos. Os policiais foram até a casa dele e o abordaram quando entrava em um veículo conduzido por E.R.K. Ambos foram encaminhados para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga, onde confessaram “muitos furtos por toda a cidade”, conforme o boletim de ocorrência.

A.F. de S. admitiu ter em sua casa uma TV, dois ventiladores e uma caixa de som. Lá foram apreendidos os objetos. Em seguida, disseram que cometiam os crimes em companhia de outro suspeito, identificado apenas como Nego. E.R.K. era responsável por conduzir o veículo, cuidar o local e vender os objetos, enquanto os demais executavam os furtos. E.R.K. alegou ainda que vendia os produtos para  R.G. da S, dono de uma loja na Vila Manoel Taveira.

O comerciante também confessou e entregou aos policiais uma TV e disse que havia vendido outra TV. Diante dos fatos, eles foram levados à Delegacia de Polícia Civil e autuados em flagrante por furto e receptação, de acordo com suas participações.

Jornal Midiamax