Polícia

Fisioterapeuta responde em liberdade por aplicação de colágeno com morte

Uma fisioterapeuta que aplicou produtos de tratamento estético nos glúteos da paraguaia Glória Angélica Calonga, 32, que veio a falecer, irá responder em liberdade. Glória morreu na última quinta-feira (28) em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, a 299 quilômetros de Campo Grande, logo após a aplicação do produto. A fisioterapeuta chegou a […]

Diego Alves Publicado em 01/04/2019, às 21h40 - Atualizado em 02/04/2019, às 11h18

Arquivo pessoal
Arquivo pessoal - Arquivo pessoal

Uma fisioterapeuta que aplicou produtos de tratamento estético nos glúteos da paraguaia Glória Angélica Calonga, 32, que veio a falecer, irá responder em liberdade. Glória morreu na última quinta-feira (28) em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, a 299 quilômetros de Campo Grande, logo após a aplicação do produto. A fisioterapeuta chegou a ser presa, porém irá responder em liberdade.

Sebastiana Alfonso, mãe da jovem falecida, disse ao site Amambay570, que essa era a segunda vez que a filha passava pelo procedimento, já que na primeira vez, o resultado não ficou do seu agrado. Os laudos da causa da morte de Glória irão ficar pronto em um mês.

Caso

Glória morreu após aplicar produtos de tratamento estético nos glúteos na manhã da última quinta-feira (28) em Pedro Juan Caballero.

Glória já chegou sem vida na área de urgência do Hospital Regional em Pedro Juan Caballero, na manhã desta quinta, após a aplicação de um produto identificado na embalagem como colágeno na região dos glúteos.

O colágeno é uma proteína comum na constituição celular humana, e é usada em variações industrializadas com a promessa de melhoria estética. Os riscos da aplicação estão ligados à falta de capacitação de quem realiza o procedimento ou má qualidade do produto.

De acordo com os familiares, a vítima fazia tratamento de beleza e teria aplicado uma dose de “Buy Collagen”, em sua residência. Uma mulher já identificada teria realizado a aplicação caseira. Após a dosagem, ela começou a passar mal e sentiu dificuldade em respirar.

Ela foi auxiliada por vizinhos e levada à área de urgência do hospital, onde já chegou morta.

Agentes da Divisão de Homicídios apoiados pela Polícia Técnica abriram uma investigação para determinar as causas da morte da mulher.

Jornal Midiamax