Conflito de terras em Dourados foi o 5º só no mês de agosto

O conflito desta quarta-feira (28) entre um grupo de indígenas e seguranças particulares em uma área na perimetral norte de Dourados foi o quinto registrado somente no mês de agosto, mas lideranças indígenas do município dizem não estar à frente dessa disputa. De acordo Gaudencio Benites, líder da aldeia Bororó, não houve não há informações […]
| 29/08/2019
- 19:00
Indígenas durante a ação desta quarta-feira (Divulgação)
Indígenas durante a ação desta quarta-feira (Divulgação) - Indígenas durante a ação desta quarta-feira (Divulgação)

O conflito desta quarta-feira (28) entre um grupo de indígenas e seguranças particulares em uma área na perimetral norte de Dourados foi o quinto registrado somente no mês de agosto, mas lideranças indígenas do município dizem não estar à frente dessa disputa.

De acordo Gaudencio Benites, líder da aldeia Bororó, não houve não há informações sobre quem está comandando essa disputa de terras. “Eu prefiro me atentar em problemas da minha comunidade como, por exemplo, a falta de água que estamos passando e ninguém toma providência. Não queremos nos envolver nessa disputa”, disse a liderança. Do lado da aldeia Jaguapiru o discurso é mesmo de representantes.

Segundo a Polícia Militar, a Força Tática foi acionada nesta quarta-feira para negociar a saída dos indígenas e evitar um confronto no local, mas as autoridades permanecem em alerta.

A primeira ocorrência no mês aconteceu no dia 2 quando a Força Tática precisou verificar uma situação de invasão e incêndio a uma área particular na região da perimetral norte, sendo recebidos por um grupo de indígenas. A equipe gerenciou a crise e controlou a situação com apoio do Corpo de Bombeiros.

Já no dia 14, policiais do Getam durante patrulhamento na Aldeia Bororo foram alvos de disparos de arma de fogo, sendo localizados nas imediações do local patrulhado seis cartuchos deflagrados de munições calibre 38. Ninguém foi ferido e não houve prisões.

No dia 19 de agosto, policiais da Força Tática foram acionados novamente para verificar uma situação de invasão e incêndio na mesma área particular na região da perimetral norte. Foi acionado o Corpo de Bombeiros para controlar o incêndio. Indígenas relataram a equipe policial que seriam de Miranda e Aquidauana e que voltariam a invadir as terras.

No dia 23 de agosto, policiais da força tática foram acionados por um proprietário de terras na região do anel viário, pois indígenas teriam invadido a área e ateado fogo a uma plantação. A equipe foi alvo de disparos de arma de fogo por parte dos indígenas nessa ocorrência e reprimindo a agressão com ações menos letais, não sendo possível identificar o autor dos disparos.

Já na ocorrência de ontem, os policiais realizaram uma ação de prevenção próximo ao anel viário, onde aproximadamente 15 indígenas teriam invadido a mesma área e ateado fogo na vegetação.

A área da perimetral norte é disputada há anos e ambos os lados dizem ter como provar a propriedade. A Funai não quis comentar sobre o assunto e disse que só se pronuncia através da assessoria de imprensa e até o momento não divulgou nenhuma informação sobre o ocorrido.

Veja também

Um veículo Fiat Toro, avaliado em 95 mil, roubado no estado do Rio de Janeiro,...

Últimas notícias