Polícia

Testemunhas depõem sobre PM que quebrou celulares em operação dos Cigarreiros

Três testemunhas de acusação depuseram nesta terça-feira (5) na Sala de Auditoria Militar do Fórum de Campo Grande durante o julgamento do 2º sargento da Polícia Militar e ex-assessor da Secretaria de Estado de Governo, Ricardo Campos Figueiredo, suspeito de envolvimento na ‘Máfia dos Cigarreiros’ e réu em uma ação por obstrução de Justiça. Fiqueiredo […]

Patrícia Penzin Publicado em 05/06/2018, às 16h51 - Atualizado em 06/06/2018, às 08h34

None

Três testemunhas de acusação depuseram nesta terça-feira (5) na Sala de Auditoria Militar do Fórum de Campo Grande durante o julgamento do 2º sargento da Polícia Militar e ex-assessor da Secretaria de Estado de Governo, Ricardo Campos Figueiredo, suspeito de envolvimento na ‘Máfia dos Cigarreiros’ e réu em uma ação por obstrução de Justiça.

Fiqueiredo é o policial que, durante o cumprimento de mandados da Operação Oiketicus, destruiu dois celulares ao ser abordado por policiais militares.

Entre as testemunhas de acusação que depuseram nesta terça-feira estão o promotor Fernando Zaupa, a delegada Maria de Lourdes e um outro militar cuja identidade não foi revelada.

A imprensa não pode acompanhar a audiência. Aos jornalistas, Zaupa disse que não poderia comentar sobre o teor do depoimento. Ele comentou que na sala estava um juiz e uma junta militar composta por cinco militares

Figueiredo acompanhou o depoimento, mas seu advogado não quis atender a imprensa.

A defesa de Figueiredo foi intimada para arrolar testemunhas dentro de cinco dias. Somente após o depoimento destas testemunhas que o réu deve prestar esclarecimentos. Após a audiência desta terça-feira (5), Figueiredo voltou para o Presídio Militar.

Jornal Midiamax