Polícia

Testemunha detalha furtos a mãe e filho mortos e revela ajuda à sobrevivente

Algumas pessoas aproveitaram aglomeração para furtar

Mariane Chianezi Publicado em 30/03/2018, às 15h17

None

Algumas pessoas aproveitaram aglomeração para furtar

“Nem com a gravidade do acidente as pessoas respeitaram”, disse testemunha de acidente sobre furtos a pertences de Márcia Magna Tavares de Oliveira, de 54 anos, e o filho dela, Ítalo Magno Tavares de Oliveira, de 23, que morreram em acidente na madrugada desta sexta-feira (30), nas Moreninhas, em Campo Grande. Márcia morreu no local e Ítalo foi socorrido com vida, mas faleceu na Santa Casa.

Mesmo com o corpo da mulher ainda dentro do veículo, alguns desconhecidos não se intimidaram e furtaram objetos como correntes que poderiam ser de valor.

“Tinha uma aglomeração de pessoas. Vi alguns pegando umas correntinhas que estavam no carro e outros pertences que eu não lembro”, disse testemunha ao Jornal Midiamax, que preferiu não se identificar e não soube detalhar os demais objetos levados pelos suspeitos.

Assim que percebeu que algumas pessoas estavam furtando, o morador tentou impedir e passou a vigiar. “A minha preocupação era ver como estavam as vítimas, mas na hora que começaram a levar as coisas eu comecei a cuidar”, afirmou à reportagem.

Nenhum dos suspeitos de furtarem objetos de Márcia e Ítalo foram identificados.

Socorro à sobrevivente

Em estado gravíssimo na Santa Casa da Capital, Jéssica Karoline da Silva Ferreira, de 23 anos, foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros, mas antes recebeu ajuda de morador.

Ainda segundo a testemunha, Jéssica estava apenas com uma marca de sangue na boca, sem mais escoriações. Entretanto, mal conseguia ‘puxar fôlego’.

 “Ela estava sufocando, respirava com muita dificuldade”, disse a testemunha. No banco da frente, ela foi retirada do veículo e colocada na calçada. O morador chegou a fazer uma massagem cardíaca na vítima enquanto os militares dos bombeiros não haviam chegado.

Latas de cerveja no assoalho

No boletim de ocorrência é detalhado que haviam três latas de cerveja no assoalho do veículo conduzido por Ítalo e, conforme testemunha, ao abrir a porta do carro, foi possível sentir forte odor etílico.

“Aqui [Rua Fraiburgo] é bem sinalizado e não é comum acontecerem acidentes porque tem semáforo. O problema ali foi a mistura álcool-direção”, afirmou à reportagem.

A testemunha disse que também checou se Márcia estava viva, mas disse que “corpo da vítima parecia estar sem os ossos”, devido a flacidez que ela estava no banco traseiro do Prisma.

Com o impacto do veículo em árvore, Ítalo, que estava sem o cinto de segurança, assim como a mãe a passageira, foi arremessado para a calçada. Apesar da gravidade do acidente, o motorista não estava muito ferido aparentemente e moradores acreditavam que ele iria sobreviver.

Câmeras de segurança

As câmeras de segurança de uma farmácia local filmaram momentos antes da colisão e poderão ajudar nas investigações policiais. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga, pelo delegado Ricardo Meirelles.

Filho transtornado

Ao saber da morte da mãe Márcia e do irmão, Ítalo, filho mais velho da vítima, de 35 anos, colocou fogo na casa da família na manhã desta sexta-feira (30), no Jardim Centenário, em Campo Grande.

Conforme apurado pela reportagem no local do incêndio, em residência da Rua Cabrália Paulista esquina com a Rua Granada, vizinhos informaram que ao saber do falecimento da mãe e do irmão, o filho mais velho de Márcia afirmou que iria se trancar dentro de casa e colocar fogo no imóvel. Entretanto, os moradores não acreditaram que ele iria fazer isso.

Pela manhã, a vizinhança teria notado a casa trancada e fumaça partindo do local. Um morador disse entrou e conseguiu retirar o filho mais velho de Márcia desacordado do imóvel.

Acidente

Márcia e o filho, Ítalo, morreram após sofrerem acidente na madrugada desta sexta-feira (30) na Rua Fraiburgo, nas Moreninhas. Ítalo conduzia veículo e teria perdido o controle da direção, batendo em uma árvore.

Conforme informações do delegado plantonista Ricardo Meirelles da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga, Márcia, Ítalo e uma outra jovem de 23 anos voltavam de uma festa quando acidente aconteceu.

Jornal Midiamax