Polícia

Roubo a banco: celulares podem provar se mesmos bandidos agiram em MS e MG

Rastros de celulares podem ligar os dois assaltos aos bancos tanto em Chapadão do Sul, no Estado, como em Frutal, em Minas Gerais. Os roubos tiveram ações muito parecidas e o Garras já teria entrado em contato com a polícia de Frutal para investigar a ligação entre os assaltos. Segundo o delegado Fábio Peró foi […]

Thatiana Melo Publicado em 09/11/2018, às 13h19 - Atualizado às 14h09

None

Rastros de celulares podem ligar os dois assaltos aos bancos tanto em Chapadão do Sul, no Estado, como em Frutal, em Minas Gerais. Os roubos tiveram ações muito parecidas e o Garras já teria entrado em contato com a polícia de Frutal para investigar a ligação entre os assaltos.

Segundo o delegado Fábio Peró foi pedida a quebra do sigilo das torres de telefonia usadas na cidade para fazer a correlação das ligações feitas durante a madrugada do dia 7 pelos bandidos, com os celulares apreendidos pela polícia de Minas Gerais.

As cápsulas dos armamentos apreendidos na quarta-feira (7), deixadas pelos bandidosjá teriam sido enviadas para Minas Gerais para a análise balística de confrontamento para saber se as armas usadas no assalto em Chapadão seriam as mesmas usadas em Frutal.

Peró ainda falou que a quadrilha que assaltou a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, em Minas Gerais, são investigados por um roubo a um carro forte da Brinks, em Ribeirão Preto. “Na próxima semana, caso seja confirmado como positivo o resultado balístico, eu vou a Minas Gerais para as investigações”, disse o delegado.

Chapadão do Sul

As agências bancárias ficam 250 metros de distância uma da outra e a primeira a ser a arrombada foi a do Banco do Brasil, em seguida a da Caixa Econômica Federal. Os bandidos ainda fecharam uma saída da cidade.

Parte da quadrilha foi para frente do quartel da Polícia Militar e outra parte para o prédio da Policia Civil. Eles efetuaram disparos contra os prédios para impedir que os policiais saíssem do local. Os valores levados pelos bandidos não foram revelados. Mas, informações são de que os caixas estavam cheios, já que no dia seria pagamento de quem trabalha em usinas e fazendas próximas.

Segundo o delegado Fábio Peró do Bando do Brasil foram levados menos que R$ 500 mil e da Caixa Econômica Federal menos que R$ 50 mil.

Frutal

Uma agência do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal foi alvo de ladrões armados com submetralhadoras, fuzis, escopetas e pistolas, na quinta-feira (8). Vidros das vitrines de lojas próximas foram estilhaçados pelos tiros. Claudinéia Aparecida, de 42 anos, morreu ao ser ferida a tiros, quando foi feita de refém. Segundo informações passadas pelo Coronel Lupércio Peres Dalvas do 5 º Regimento da Polícia Militar do Estado, ao Jornal Estado de Minas, um dos ladrões foi ferido a tiros e socorrido para um hospital. Ele seria integrante da quadrilha que fez os assaltos aos bancos em Chapadão.

O bandido negou fazer parte da quadrilha, e disse que estava na região para comprar porcos, mas já tinha passagens por assalto a bancos. Um dos carros abandonados, um Fiat Toro, seria o mesmo usado no assalto a Chapadão do Sul.

Jornal Midiamax