Polícia

Por falta de laudos, MPE pede que processo de Carolina volte à delegacia

O MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) solicitou que o processo que apura a morte da advogada Carolina Albuquerque retorne à 3ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande para que diligências que não foram concluídas no inquérito policial sejam finalizadas. No pedido, o órgão pede urgência no encaminhamento dos laudos. Além […]

Clayton Neves Publicado em 23/04/2018, às 16h51 - Atualizado às 16h53

None

O MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) solicitou que o processo que apura a morte da advogada Carolina Albuquerque retorne à 3ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande para que diligências que não foram concluídas no inquérito policial sejam finalizadas. No pedido, o órgão pede urgência no encaminhamento dos laudos.

Além das circunstâncias do acidente, o processo apura a responsabilidade do estudante de medicina João Pedro Miranda, de 23 anos, na colisão que terminou na morte da advogada no dia 2 de novembro de 2017.

Em manifestação anexada ao processo no último dia 17, o MPE concede 60 dias para que sejam anexados aos autos relatório da quebra do sigilo telefônico de João Pedro, teste toxicológico na amostra de sangue da advogada, além do exame de corpo de delito no filho da vítima, hoje com 4 anos, que estava com ela no momento da colisão.

Todos os laudos foram solicitados no dia 11 de dezembro, nove dias após o acidente, pelo delegado Geraldo Marin, que conduziu as investigações policiais, no entanto, até o momento os resultados não foram entregues.

“O Ministério Público Estadual requer a devolução dos autos à Delegacia de Polícia e concede dilação de prazo por mais 60 dias para conclusão das diligências supramencionadas e demais que se julgarem necessárias, entretanto cobra urgência no cumprimento, haja vista a gravidade desta ocorrência”, solicita o MPE.

Jornal Midiamax