Polícia

Polícia acha difícil identificar colegas que estupraram a acadêmica da UFGD em festa

Jovem entrou em coma alcoólico

Thatiana Melo Publicado em 27/03/2018, às 12h34

None

Jovem entrou em coma alcoólico

Identificar os autores do estupro de uma universitária de 17 anos, da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), no dia 20 deste mês está sendo difícil para a polícia, já que a jovem não se lembra de muita coisa que teria acontecido no dia do crime.

De acordo com o delegado Lupérsio Degenore Lúcio, da Delegacia Regional de Dourados, várias pessoas já foram ouvidas, inclusive a universitária, que disse não se lembrar de detalhes.

Alguns colegas da jovem, que participavam de uma festa de boas vindas do curso de engenharia, também já foram ouvidos, “A dificuldade está em ninguém conhecer ninguém na festa, já que era o primeiro dia “, disse o delegado que enfatizou a ajuda da universidade no esclarecimento do crime.

O material coletado analisado comprovou o estupro e a coleta de material (sêmen), poderá ajudar a chegar a autoria do estupro.Polícia acha difícil identificar colegas que estupraram a acadêmica da UFGD em festa

O estupro

A menina foi internada em coma alcoólico com roupas masculinas no Hospital da Vida. O estupro, que teria acontecido no dia 20 deste mês, foi denunciado pela mãe da adolescente. A mãe percebeu vestígios de sangue ao tirar a roupa da filha que não soube explicar o que aconteceu. Ainda de acordo com a polícia, um caso parecido foi denunciado no fim de semana durante outro trote universitário na cidade.

No dia, a jovem participou da arrecadação de dinheiro para a realização da festa de um curso de engenharia da Universidade. Já durante o período da noite, ela teria sido encontrada desmaiada em um local ermo, próximo de onde ocorreu a festa, na Avenida Indaiá. De lá, ela foi levada por universitários ao Hospital da Vida A polícia também investiga, que foi que trocou as roupas da jovem.

Jornal Midiamax