Polícia

Passageira de Parati fraturou costela, bacia e rosto após ser ‘lançada’ do veículo

A segunda vítima do grave acidente de trânsito que ocorreu neste domingo (14), na BR-060, saída para Sidrolândia, a passageira da Parati, uma mulher de 31 anos, está internada na ala vermelha da Santa Casa, ela fraturou a costela e a bacia e teve fraturas no rosto, no momento do acidente ela foi lançada fora […]

Mariana Rodrigues Publicado em 14/10/2018, às 14h12 - Atualizado em 15/10/2018, às 10h06

Fotos: Betinho Escalante
Fotos: Betinho Escalante - Fotos: Betinho Escalante
Passageira de Parati fraturou costela, bacia e rosto após ser 'lançada' do veículo
Fotos: Betinho Escalante

A segunda vítima do grave acidente de trânsito que ocorreu neste domingo (14), na BR-060, saída para Sidrolândia, a passageira da Parati, uma mulher de 31 anos, está internada na ala vermelha da Santa Casa, ela fraturou a costela e a bacia e teve fraturas no rosto, no momento do acidente ela foi lançada fora do veículo.

Conforme informações repassadas pela assessoria do hospital, a paciente encontra-se no pronto-socorro em atendimento de urgência e emergência. Ela já passou por avaliação ortopédica, neurológica, e pelo cirurgião torácico. No momento, passa por procedimento bucomaxilo, devido a um trauma na face. Ela está consciente, orientada e medica e não corre risco de morte.

O condutor da Parati, Leandro Roberts da Silva Santos, 32 anos, não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo no local. Segundo informações do boletim de ocorrência, eles haviam saído de uma festa em uma chácara e retornavam para casa.

A Parati trafegava sentido Sidrolândia- Campo Grande, quando saiu da pista e colidiu frontalmente com a carreta Scânia e vinha no sentido contrário. O motorista do caminhão teve escoriações leves e recusou atendimento. A passageira da Parati foi levada para a Santa Casa pelo Corpo de Bombeiros.

O motorista do caminhão estava carregado com adubo e estava levando a carga para uma fazenda que fica 18 quilômetros do local do acidente. Com o impacto da batida, a Parati partiu ao meio.

Leandro era cabo do Exército e servia no 9º Batalhão de Engenharia de Combate Carlos Camisão, em Aquidauana.

Jornal Midiamax