Polícia

Mulher agredida pelo marido diz à polícia que sofreu aborto por causa de violência

Uma mulher de 36 anos que foi agredida no meio da rua pelo seu marido de 25 anos nesta sexta-feira (31) disse à polícia que sofreu um aborto nesta quinta-feira (30) por causa da violência sofrida. O caso ocorreu na cidade de Nova Andradina, cidade a 297 quilômetros de Campo Grande. Nesta sexta, o 8º […]

Diego Alves Publicado em 31/08/2018, às 21h49 - Atualizado em 01/09/2018, às 09h04

None

Uma mulher de 36 anos que foi agredida no meio da rua pelo seu marido de 25 anos nesta sexta-feira (31) disse à polícia que sofreu um aborto nesta quinta-feira (30) por causa da violência sofrida.

O caso ocorreu na cidade de Nova Andradina, cidade a 297 quilômetros de Campo Grande.

Nesta sexta, o 8º Batalhão de Polícia Militar recebeu diversas ligações via 190, por volta das 17h00, para atender a ocorrência de violência doméstica, onde o homem agredia sua companheira na Rua Primeiro de Maio, no bairro Motta Ramos.

Os policiais foram até o local para averiguar as denúncias, e ao se aproximarem, avistaram uma grande aglomeração de pessoas e o autor agredindo a vítima.

De acordo com a polícia, ao realizar a aproximação e dar ordens para que o autor colocasse as mãos na cabeça, ele, muito alterado, começou a proferir ameaças à equipe, dizendo que não tinha policial que o levasse preso, dizendo ainda que era de uma facção criminosa e que a polícia não iria colocar as mãos nele e, ainda mataria cada um dos policiais juntamente com a facção.

Ainda segunda a polícia, o autor tentou agredi-los com chutes e socos, porém ele foi imobilizado e preso. Também foi prestado socorro à vítima que apresentava diversas lesões pelo corpo. Neste momento, ela relatou que no dia anterior havia perdido uma gestação tendo um aborto completo.

Na delegacia, os policiais novamente receberam mais ameaças do autor, que contou que iria matar a equipe de serviço, pegar e arrancar a cabeça de cada um, depois em seguida proferiu que iria queimar a equipe viva.

Na delegacia, ainda muito alterado buscando agredir a equipe, ao ser colocado na cela o autor começou a bater a cabeça nas grades de ferro, dizendo que iria contar que a polícia o agrediu, e novamente se intitulava como do comando vermelho e que sua facção iria matar os policias dessa cidade, bem como, que o delegado.

Jornal Midiamax