Polícia

Justiça nega pedido de prisão domiciliar para cabeleireira que matou vendedor no trânsito

A Justiça negou o pedido da defesa da cabeleireira Joice Espíndola da Silva de 35 anos de cumprir prisão domiciliar. Ela é acusada do assassinato do vendedor Camilo d Freitas de 28 anos, morto no trânsito da cidade de Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo Grande. Em junho, a defesa havia impetrado um pedido […]

Thatiana Melo Publicado em 20/07/2018, às 10h05 - Atualizado às 11h44

None

A Justiça negou o pedido da defesa da cabeleireira Joice Espíndola da Silva de 35 anos de cumprir prisão domiciliar. Ela é acusada do assassinato do vendedor Camilo d Freitas de 28 anos, morto no trânsito da cidade de Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo Grande.

Em junho, a defesa havia impetrado um pedido para que a cabeleireira respondesse pelo crime em liberdade, o que também foi negado pela Justiça. O argumento dos advogados de Joice é de que ela tem três filhos de 11, 12 e 18 anos que dependem economicamente e psicologicamente da companhia diária da mãe.

Segundo o site JP News, a sessão para a conclusão do julgamento que estava prevista para a próxima semana foi adiada para o dia 14 de agosto.

Relembre o caso

O vendedor Camilo de Freitas da Silva, de 28 anos, foi morto a facadas na noite de 20 de maio, quando brigava com sua esposa no trânsito da cidade de Três Lagoas.

Camilo e a esposa discutiam quando uma mulher em uma camionete, que estava acompanhada do filho adolescente, flagrou a briga e desceu para defender a vítima do vendedor.

Mãe e filho acabaram brigando com a vítima. E, em determinado momento, a mulher buscou uma faca no carro e acertou um golpe no peito de Camilo, que morreu antes de ser socorrido

Jornal Midiamax