Polícia

Justiça nega liberdade a professor de educação física que estuprava alunas

A Justiça negou, nesta segunda-feira (8), a liberdade a um professor de educação física de uma escola municipal de uma cidade do interior do Estado, que foi preso após estuprar alunas. Ele pedia fotos das meninas sem roupas. Segundo os autos, a mãe de uma das vítimas flagrou conversas entre o professor e a menina, […]

Thatiana Melo Publicado em 08/10/2018, às 09h10 - Atualizado às 09h38

Imagem:Ilustrativa/Arquivo Midiamax
Imagem:Ilustrativa/Arquivo Midiamax - Imagem:Ilustrativa/Arquivo Midiamax

A Justiça negou, nesta segunda-feira (8), a liberdade a um professor de educação física de uma escola municipal de uma cidade do interior do Estado, que foi preso após estuprar alunas. Ele pedia fotos das meninas sem roupas.

Segundo os autos, a mãe de uma das vítimas flagrou conversas entre o professor e a menina, onde ele pedia fotos dela sem roupas com a desculpa de ver as estrias no corpo da garota. A adolescente contou à mãe que as investidas do professor teriam acontecido em várias ocasiões.

Sendo que em uma delas teria ido até a casa do suspeito. Lá na residência, o professor teria pedido para a aluna tirasse a camiseta e o short para ver suas medidas e ver a evolução do corpo dela. A diretora da escola afastou o professor após descobrir que ele teria molestado cerca de 10 alunas.

“Registro que, neste caso particular, a meu ver, mostra-se descabido o pedido alternativo do impetrante para que seja substituída a prisão preventiva por uma das medidas cautelares, já que as circunstâncias dos autos evidenciam que providências menos gravosas seriam absolutamente insuficientes para a manutenção da ordem pública, sendo de rigor, portanto, a custódia provisória”, finalizou o desembargador.

Jornal Midiamax