Jovem que matou pelas costas e não foi em audiências será julgado nesta quarta

  Wilson Corrêa de Arruda, acusado de matar Ewerton Ferreira dos Santos, 18, com tiros dados nas costas irá a Júri Popular na manhã desta quarta-feira (16) em Campo Grande. O réu já possui um mandado de prisão em aberto. No dia 15 de maio de 2010, por volta da 22h30, no Jardim das Macaúbas, […]
| 16/05/2018
- 02:06
Jovem que matou pelas costas e não foi em audiências será julgado nesta quarta

 

Wilson Corrêa de Arruda, acusado de matar Ewerton Ferreira dos Santos, 18, com tiros dados nas costas irá a Júri Popular na manhã desta quarta-feira (16) em Campo Grande. O réu já possui um mandado de prisão em aberto.

No dia 15 de maio de 2010, por volta da 22h30, no Jardim das Macaúbas, próximo a uma conveniência, Wilson efetuou tiros de revólver contra Ewerton Ferreira dos Santos.

De acordo com o Ministério Público, Wilson agiu por motivo torpe, por vingança causada por um desentendimento. Além disso, de acordo com a denúncia, o autor usou de recurso que dificultou a defesa dela, pois efetuou os disparos pelas costas. De acordo com o TJ-MS, a denúncia foi recebida em 5 de dezembro de 2011, mas o acusado não foi localizado.

Neste período, o acusado também não compareceu em audiências. O réu chegou a ser intimado por edital para o comparecimento em seu julgamento, que foi marcado para o dia 28 de março de 2018. Porém, a advogada de defesa não compareceu e o júri teve que ser adiado. Por isso, ela foi multada em R$ 9,5 mil.

Também no dia 28 de março, o juiz determinou a expedição do mandado de prisão preventiva do acusado, pois, “fica clara a postura furtiva do réu visando prejudicar a aplicação da lei penal, sendo que o processo vem se arrastando há mais de 5 anos sem ser encontrado pessoalmente, com indicação de diversos endereços, inclusive noutro Estado da Federação (Belém-PA), razão pela qual, com base no art. 312 do CPP, decreta-se a prisão preventiva do réu”, de acordo com o Aluizio Pereira dos Santos. Até o presente momento o mandado de prisão ainda não foi cumprido.

Veja também

A PMA (Polícia Militar Ambiental) autuou proprietários de oficinas mecânicas em R$ 10 mil por...

Últimas notícias