Polícia

Frentista está envolvido em esquema que aplicava golpes em autopostos

Prejuízo ultrapassa R$ 10 mil

Clayton Neves Publicado em 22/02/2018, às 17h52

None

Prejuízo ultrapassa R$ 10 mil

A Polícia Civil suspeita da participação de um frentista em esquema de estelionatários que aplicavam golpes em um posto de gasolina no Bairro Itanhangá, em Campo Grande. Para despistar, os criminosos abasteciam combustível usando nomes de clientes que possuíam conta no local. O prejuízo ultrapassa R$ 10 mil.

Para a polícia, o funcionário seria o maior beneficiado com o esquema, pois tinha informações privilegiadas e supostamente recebia vantagens para revelar quem eram os clientes que tinham conta.

“O maior prejuízo ficou com o proprietário do posto de gasolina, porque como não houve autorização, o cliente que tinha a conta não é obrigado a pagar o valor”, explica o delegado Mario Donizete, que investiga um dos casos.

Na última terça-feira (20) motorista de aplicativo de 24 anos, acabou na delegacia depois de ser flagrado tentando abastecer em nome de um cliente do posto. No sábado (17) outro motorista foi preso preso após tentar aplicar o mesmo golpe.

O esquema funcionava da seguinte maneira: o motorista chegava ao posto de combustível e solicitava o abastecimento do carro em nome de uma pessoa, que já possui conta no estabelecimento.

O veículo era abastecido e gerado a comanda do serviço, que depois era enviada para a vítima que não tinha conhecimento do abastecimento. Os nomes de terceiros que tinham contas em postos de combustíveis eram repassados através de ligações e mensagens para os autores.

Frentista está envolvido em esquema que aplicava golpes em autopostos

Ainda conforme registro policial, em contato com o cliente, o mesmo disse que não havia autorizado os abastecimentos.

Jornal Midiamax