Familiares fazem manifesto pedindo prisão de cabeleireira que matou vendedor

  Aproximadamente 30 pessoas fizeram um manifesto para pedir a prisão de uma cabeleireira, no início da noite desta terça-feira (22). A mulher é suspeita de ter matado o vendedor Camilo de Freitas da Silva, 28, na noite do último domingo (20) em Três Lagoas, cidade a 338 quilômetros de Campo Grande. Advogados da cabeleireira […]
| 23/05/2018
- 02:11
Familiares fazem manifesto pedindo prisão de cabeleireira que matou vendedor

 

Aproximadamente 30 pessoas fizeram um manifesto para pedir a prisão de uma cabeleireira, no início da noite desta terça-feira (22).

A mulher é suspeita de ter matado o vendedor Camilo de Freitas da Silva, 28, na noite do último domingo (20) em Três Lagoas, cidade a 338 quilômetros de Campo Grande. Advogados da cabeleireira negociam com a polícia a apresentação dela.

Com cartazes e velas, amigos e familiares do vendedor fizeram o manifesto no cruzamento das ruas João Carrato e Josino da Cunha Viana, no bairro Vila Nova. A suspeita está foragida desde o dia do crime.

“O que ela fez foi uma maldade com meu filho, com um pai de uma criança de dois anos e com toda a nossa família. Por isso, deve ser presa”, disse ao site JPNews, Marlene de Freitas, 55, mãe de Camilo.

Crime

Camilo e a esposa discutiam no cruzamento das rua Josino da Cunha Viana com a João Carrato, perto do Centro, quando uma mulher em uma camionete, que estava acompanhada do filho de 16 anos, flagrou a briga e desceu para defender a vítima do vendedor.

Mãe e filho acabaram brigando com a vítima e, em determinado momento, a mulher buscou uma faca no carro e acertou um golpe no peito de Camilo, que morreu antes de ser socorrido.

O filho da autora contou à polícia que ainda tentou estancar o sangramento, mas Camilo morreu. O filho da mulher foi liberado logo após prestar depoimento e a cabeleireira está foragida desde então.

Veja também

Últimas notícias