Polícia

Dono que matou PitBull a facadas será ouvido, mas não deve ser preso

Crime aconteceu no domingo (18)

Thatiana Melo Publicado em 19/02/2018, às 11h45

None

Crime aconteceu no domingo (18)

O dono de uma cadela da Raça Pit Bull, de 47 anos, morta esfaqueada deve ser chamado para ser ouvido pelo delegado Marco Antônio Balsanini, da Decat (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Atendimento ao Turista). O inquérito para apurar a morte do animal deve ser instaurado ainda nesta semana.

De acordo com Balsanini, a testemunha do caso, o antigo dono da cadela e o atual proprietário serão chamados para serem ouvidos. Um termo circunstanciado deve ser assinado pelo autor, que não deve ficar preso.

A pena para o crime de acordo com a lei é:

Artigo 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:

Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.

§ 1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.

§ 2º A pena é aumentada de um sexto a um terço, se ocorre morte do animal.

O crime

De acordo com informações do boletim de ocorrência, o vendedor do animal teria passado na tarde deste domingo (18) em frente à residência do autor para visitar a cadela, quando o flagrou esfaqueando o animal, que estava acuado em um canto do quintal.

O homem tentou, junto com a namorada, entrar na casa para resgatar o animal, mas foi impedido e ameaçado pelo morador com um facão. Ele ainda teria dito que buscaria uma arma de fogo para matar o casal.

A polícia foi acionada e conseguiu retirar o animal de dentro da residência, que foi levado para uma clínica veterinária, mas depois de três paradas cardíacas na mesa de cirurgia acabou morrendo.

Na residência estavam os quatro filhos do autor, todos menores de 10 anos, assustados após presenciarem a cena. O morador fugiu e não foi localizado pela polícia.

Foto: Divulgação Polícia Militar
Jornal Midiamax