Dois são presos por morte de comerciante atingido por Civic com maconha

Dois suspeitos de estarem em um Honda Civic com mais de 300 quilos de maconha que invadiu a pista contrária e colidiu contra uma camionete Hilux em um acidente que matou o comerciante Chulsi Luiz Niedermeyer de 67 anos foram presos horas após o acidente. Um homem de 30 anos, natural do estado do Rio […]
| 11/05/2018
- 01:56
Dois são presos por morte de comerciante atingido por Civic com maconha

Dois suspeitos de estarem em um Honda Civic com mais de 300 quilos de maconha que invadiu a pista contrária e colidiu contra uma camionete Hilux em um acidente que matou o comerciante Chulsi Luiz Niedermeyer de 67 anos foram presos horas após o acidente.

Um homem de 30 anos, natural do estado do Rio de Janeiro foi preso na rodoviária da cidade após o acidente. De acordo com a Polícia Militar, que chegou ao suspeito após denúncia, o homem estava na rodoviária com mais de R$ 100 e com anotações de horários de ônibus.

De início, ele negou que estava no Honda Civic, porém a Polícia Civil confrontou as digitais do Honda Civic carro e confirmou que tratava-se da mesma pessoa. Posteriormente, ele teria dito que dirigia o veículo e levaria a droga até Goiânia (GO). Outro suspeito foi preso em Costa Rica, após pegar um ônibus intermunicipal.

Acidente

Chulsi Luiz Niedermeyer de 67 anos morreu em um acidente na manhã desta quinta-feira (10) na BR-060 em Chapadão do Sul, cidade a 335 quilômetros de Campo Grande. A colisão frontal aconteceu sobre o viaduto Ferronorte.

Chulsi seguia em uma camionete Hilux em direção a Paraíso das Águas quando, sobre o viaduto, houve a colisão com um Honda Civic com placas de Belo Horizonte (MG). Com o impacto, o comerciante foi arremessado para fora do veículo.

No Honda Civic que invadiu a pista contrária, a polícia encontrou mais de 300 quilos de maconha. Após o acidente, o suspeito fugiu do local e foi preso horas após o acidente em um matagal.

De acordo com informações de um caminhoneiro que seguia à frente da camionete, o Honda Civic transitava na contramão.

O caminhoneiro conseguiu ainda desviar do automóvel, porém, o Honda colidiu contra a camionete e capotou.

De acordo com o site Diário Chapadense, Chulsi era natural de Campina das Missões (RS) e morava em Chapadão do Sul há 33 anos. Desde o ano de 1992 trabalhava em seu bar, na Rua Dez. No ano de 2016 Chulsi foi homenageado pela Câmara de vereadores de Chapadão do Sul. Ele esposa Dulce, os filhos Clemente, Patrícia e Rodrigo e, ainda, três netos.

Veja também

Penitenciária sofrerá intervenção por 30 dias

Últimas notícias