Polícia

Depois de matar advogada, adolescente se passou pela idosa em redes sociais

Ele usou celular da vítima para responder mensagens 

Clayton Neves Publicado em 29/03/2018, às 21h04

None

Ele usou celular da vítima para responder mensagens 

Depois de espancar e matar a advogada Clarinda Tamashiro, de 72 anos, encontrada morta em um depósito nesta quarta-feira (28), em Aquidauana, o adolescente de 16 anos que confessou o crime, usou o celular da vítima e se passou pela idosa em mensagens de WhatsApp e em publicações no Facebook.

De acordo com informações do site O Pantaneiro em depoimento o menor de idade contou que chegou a casa da mulher por volta das 5 horas e esperou ela sair. Uma hora depois, quando a mulher abriu a porta da cozinha, o garoto entrou no quarto, onde se escondeu atrás da porta. Quando Clarinda voltou para o quarto, foi surpreendida e atacada com socos no rosto.

Em seguida, a advogada foi colocada na cama, onde teve mãos e pés amarrados com fios. A boca da vítima foi coberta com uma toalha que foi amarrada. Usando fios, o menor de idade enforcou a idosa que morreu asfixiada.

Após a morte, o menino contou que foi até o guarda-roupas do quarto onde encontrou R$ 13.880. Do total, R$ 5 mil teria sido roubado pelo menor em 2016, no entanto, o valor foi recuperado pela polícia e devolvido à vítima que escondeu o dinheiro no armário.Depois de matar advogada, adolescente se passou pela idosa em redes sociais

Mais de oito horas depois do homicídio, o adolescente foi flagrado por moradores tentando deixar o local com o dinheiro. A polícia Militar foi acionada e o garoto apreendido.

Jornal Midiamax