Polícia

Cachorro indica a caseiros local onde dono estava morto havia dois dias

A insistência de um cachorro da raça Perdigueiro em atrair a atenção de um trabalhador foi decisiva para que a polícia encontrasse o corpo do dono do animal, um caseiro de 53 anos identificado como Wagner Aparecido Miranda de Jesus, que estava soterrado em meio a sacos de rações armazenados no galpão da fazenda em […]

Clayton Neves Publicado em 20/07/2018, às 16h21 - Atualizado em 21/07/2018, às 16h24

Fernando de Brito / Brito News
Fernando de Brito / Brito News - Fernando de Brito / Brito News

A insistência de um cachorro da raça Perdigueiro em atrair a atenção de um trabalhador foi decisiva para que a polícia encontrasse o corpo do dono do animal, um caseiro de 53 anos identificado como Wagner Aparecido Miranda de Jesus, que estava soterrado em meio a sacos de rações armazenados no galpão da fazenda em que ele trabalhava, no distrito de Pouso Alto, em Paraíso das Águas.

De acordo com o delegado Gustavo Mendes Silva, responsável pelo caso, companheiros de trabalho haviam notado a ausência do caseiro. Por volta das 16h30, um deles foi até o galpão onde foi recebido pelo cão que latia muito. “O cachorro apontou o local onde ele estava, mas como estava coberto ninguém conseguiu ver. Foi então que o animal subiu nos sacos e começou a latir”, explica.

Diante da insistência, os caseiros retiraram cerca de 15 sacos de rações e encontraram o corpo de Wagner. A polícia suspeita que o trabalhador tenha caído no local depois de um mal súbito, no entanto, exames periciais devem apontar a real causa da morte.

Jornal Midiamax