Polícia

Agressor de Bolsonaro desembarca em Campo Grande e vai para presídio federal

O agressor confesso do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), Adélio Bispo de Oliveira, desembarcou às 12h (MS), deste sábado (8), no Aeroporto Internacional de Campo Grande. Neste momento, ele segue para o Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) antes de ir para o presídio federal de segurança máxima da Capital escoltado […]

Richelieu Pereira Publicado em 08/09/2018, às 12h03 - Atualizado em 09/09/2018, às 12h37

Avião em que está Adélio Bispo de Oliveira pousa em Campo Grande. (Foto: Minamar Junior)
Avião em que está Adélio Bispo de Oliveira pousa em Campo Grande. (Foto: Minamar Junior) - Avião em que está Adélio Bispo de Oliveira pousa em Campo Grande. (Foto: Minamar Junior)

O agressor confesso do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), Adélio Bispo de Oliveira, desembarcou às 12h (MS), deste sábado (8), no Aeroporto Internacional de Campo Grande. Neste momento, ele segue para o Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) antes de ir para o presídio federal de segurança máxima da Capital escoltado pelo Departamento Penitenciário Nacional.

A transferência para um presídio federal foi tomada em comum acordo entre a juíza federal Patrícia Alencar, que ouviu Adélio na sexta-feira (7), em audiência de instrução, o Ministério Público Federal e a própria defesa do acusado. O objetivo é garantir sua integridade física, já que poderia ser morto dentro do sistema prisional comum.

Além da transferência para um presídio federal de segurança máxima, a Justiça Federal em Juiz de Fora determinou a prisão preventiva de Oliveira.

Antes de vir a Campo Grande, Adélio Bispo embarcou em um avião no Aeroporto da Serrinha em Juiz de Fora (MG) pouco antes das 6h30 (MS), a aeronave fez uma escala em Ribeirão Preto (SP).

Atentado pessoal

Preso em flagrante após o ataque, o agressor, que foi indiciado pela Polícia Federal com base na Lei de Segurança Nacional, confessou o crime.

Oliveira foi indiciado com base no artigo 20 da lei, que prevê o crime de atentado pessoal por inconformismo político. A pena para o artigo específico varia entre três e dez anos de prisão. No entanto, o parágrafo único dentro do artigo aponta que, se a partir da agressão o fato resultar em lesão corporal grave, a pena pode dobrar.

Candidato passa bem

Jair Bolsonaro mantém-se consciente, em boas condições clínicas e hoje será movimentado do leito para a poltrona (poderá se sentar pela primeira vez), de acordo com boletim médico divulgado nesta manhã pelo Hospital Albert Einstein, no bairro Morumbi, no qual ele está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde ontem.

Bolsonaro foi esfaqueado na tarde de quinta-feira (6) durante uma atividade de campanha, em Juiz de Fora (MG).

Segundo boletim, não houve intercorrência nas últimas 24 horas e os exames de imagem e laboratoriais realizados ontem durante avaliação médica mostraram resultados estáveis. “Encontra-se em boas condições cardiovascular e pulmonar, sem febre ou outros sinais de infecção. Mantém jejum oral, recebendo nutrientes por via venosa”, diz a nota.

O hospital continuará o tratamento clínico, considerado em boa evolução. Segundo o Albert Einstein, não há necessidade de novos procedimentos.

*Com informações do UOL e da Agência Brasil

*Matéria editada para atualização de informações

Jornal Midiamax