Polícia

Advogada teria sido espancada antes de ser amarrada, estuprada e morta asfixiada

.

Ludyney Moura Publicado em 29/03/2018, às 11h30

None

.

A advogada Clarinda Tamashiro, de 72 anos, encontrada morta em um depósito nesta quarta-feira (28), na cidade de Aquidauana a 135 quilômetros de Campo Grande teria sido espancada antes de ser assassinada. Os laudos devem mostrar que a causa da morte foi asfixia.

Clarinda foi encontrada amarrada com fios pela boca e mãos e teria sido espancada antes de ser estuprada e morta. A idosa foi encontrada em cima de uma cama, com vários hematomas pelo corpo.

A polícia acredita que o crime deve ter ocorrido na parte da manhã de quinta (28), já que ela teria respondido mensagens no WhatsApp logo cedo. A polícia ainda não descarta a possibilidade de outras pessoas estarem envolvidas no crime, segundo o site O Pantaneiro.

A advogada teria sido alvo de latrocínio- roubo seguido de morte. Testemunhas alegaram que o adolescente estaria observando por cima do muro de dentro do local, chamando a atenção de quem passava por perto. Desconfiados, os moradores detiveram o adolescente e entraram no depósito, onde se deparam com a advogada morta e chamaram a polícia.

No bolso do adolescente foi encontrado dinheiro e ele já teria assaltado a vítima três vezes. O adolescente teria sido apreendido por roubar o celular e R$ 5 mil dela, mas respondia o processo em liberdade.

A Polícia Civil não descartou a possibilidade de que no momento em que o adolescente adentrou ao depósito, a advogada já estivesse morta, no entanto, a perícia só poderá confirmar após os laudos. A vítima era viúva, e desde 2015 cuidava do depósito que era do marido. O caso está sendo investigado.

Jornal Midiamax