Polícia

VÍDEO: Abordagem com ‘mata leão’ após desacato a PMs viralizou na web

Centenas de comentários elogiam a ação

Tatiana Marin Publicado em 21/01/2017, às 13h12

None
capa_sarjento.jpg

Centenas de comentários elogiam a ação

Vídeo que mostra a ação de dois policiais militares em uma conveniência em Três Lagoas, cidade a 338 quilômetros de Campo Grande, viralizou nas redes sociais. Várias versões de duas filmagens foram publicadas. Em um dos perfis do Facebook em que o vídeo foi divulgado, há quase 200 mil visualizações, centenas de comentários e mais 1,5 mil compartilhamentos, a grande maioria deles elogiando a ação dos policiais. 

No página do Facebook do policial militar Sargento Galesco outra versão do vídeo foi publicado no dia 19 de janeiro e conta com 115 mil curtidas, mais de 27 mil comentários e quase 6 mil visualizações. Veja abaixo a versão do vídeo publicada pelo perfil.

A grande maioria dos comentários parabeniza a ação dos policiais. Um dos usuários diz: “Fora o preparo psicológico. Não alterou o tom de voz em momento algum. Manteve a calma”. Há também alguns comentários bem humorados: “Cara sonho que tava sendo preso, acordo e era verdade msm (sic)”.

Caso

Na madrugada do dia 15 de janeiro, um homem de 36 anos invadiu a conveniência de um posto de combustível em Três Lagoas, no momento em que os funcionários fechavam o estabelecimento. Segundo cartaz fixado no local, não há permissão para funcionamento durante aquele horário.

O homem, porém, entra na conveniência mesmo com o pedido de que se retire. Os funcionários acionam a polícia que, no vídeo, pode-se ver que advertem calma e repetidamente que se retire e que, se não obedecer, darão voz de prisão.

Após várias tentativas sem sucesso de convencer o homem a se retirar, os policiais tentam imobilizar-lo, que resiste à prisão. Os policiais são então obrigados a praticar a manobra conhecida como ‘mata-leão’, que força o desmaio.

Segundo foi informado pela 1ª Delegacia de Polícia de Três Lagoas, o homem foi ouvido e liberado em seguida. O caso foi registrado como desobediência e resistência à prisão.

Veja o Vídeo

Jornal Midiamax