Polícia

Vasco e Flamengo termina com confusão, bombas e tentativa de invasão

1 a 0

Diego Alves Publicado em 08/07/2017, às 22h30

None

1 a 0

O clássico deste sábado entre Vasco e Flamengo terminou com cenas tristes de muita confusão no estádio de São Januário, na Zona Norte do Rio. Após o apito final, torcedores vascaínos atiraram objetos explosivos no gramado e tentaram saltar a proteção de acrílico que separa o gramado da torcida. Câmeras de TV também flagraram alguns indivíduos depredando as instalações.Vasco e Flamengo termina com confusão, bombas e tentativa de invasão

Para dispersar a torcida e evitar uma invasão do gramado, policiais militares atiraram gás de pimenta em alguns torcedores e bombas de efeito moral nas arquibancadas. No meio do tumulto, houve muita correria em meio à torcida, e alguns apoiadores do Vasco tentaram se abrigar do gás de pimenta em cabines de imprensa e camarotes de São Januário.

— Não entendo por que está acontecendo. Os caras estão jogando bomba, tem criança. É triste demais — disse o meia Everton, do Flamengo.

Os jogadores do Flamengo ficaram no meio do gramado, esperando pelo fim da confusão. Em um determinado momento, eles correram para dentro do vestiário, se protegendo de objetos que os torcedores do Vasco lançavam na direção deles.

Antes de sair de campo, porém, alguns jogadores do clube rubro-negro lamentaram a confusão, em entrevistas. O meia Diego questionou a realização do jogo no estádio.

— É um direito deles jogar em São Januário, mas que seja com intuito apenas de se sentir em casa e fazer um grande jogo, não para de repente agredir e fazer toda essa confusão. Realmente a cena que estamos vendo agora é lamentável — completou o meia Diego, com os olhos vermelhos por conta do gás de pimenta.

Autor do passe que originou o gol de Éverton, do Flamengo, Éverton Ribeiro criticou as cenas ocorridas no estádio do Vasco.

— É triste, famílias vêm assistir a um clássico desse. Terminar desta maneira não é bom para o futebol. Agora chegou gás de pimenta, tá incomodanbdo um pouco, mas isso não é nada. Pior é quem está no meio dessa bagunça aí — afirmou Éverton Ribeiro.

Jornal Midiamax