Polícia

Suposto concurso de pipas com cerol assusta moradores da Vila Cidade Morena

Vizinhos alegam que polícia ainda não atendeu ocorrência

Guilherme Cavalcante Publicado em 29/01/2017, às 19h08

None
whatsapp_image_2017-01-29_at_15.32.00.jpeg

Vizinhos alegam que polícia ainda não atendeu ocorrência

Um concurso interestadual de pipa estaria ocorrendo ao longo deste domingo (29) em uma chácara na região do bairro Vila Cidade morena, próximo à Avenida Gury Marques, em Campo Grande, no qual o uso de cerol e linha chilena estaria sendo praticado indiscriminadamente.

De acordo com vizinhos que efetuaram a denúncia, a polícia já foi acionada ainda de manhã, mas até o momento nenhuma viatura compareceu à localidade. Uma imagem entregue à reportagem mostra troféus, pipas e carreteis de linha, que possivelmente serão dados como premiação aos vencedores do torneio.

A reportagem entrou em contato com a polícia que, por meio do Ciops, afirmou não ter registro de nenhuma ocorrência similar no sistema, mas que faria uma ronda na região informada.

Lei e fiscalização

Em Campo Grande, a comercialização ou uso de cerol e linha chilena geram multas de R$ 200 a R$ 1 mil, mas na prática, ninguém fiscaliza. As Leis Complementares n.116/2008 e 287/2016, de autoria do vereador Paulo Siufi,  proíbem a produção, o fornecimento, o armazenamento, a venda e o uso do cerol, linha chilena ou qualquer tipo de material cortante  nas linhas de pipas e similares em Campo Grande.

A fiscalização, autuação e aplicação das multas é atribuída à Prefeitura Municipal, que após aplicar a penalidade deve comunicar a Polícia Civil para apuração de possíveis infrações penais.

O cerol é uma mistura feita com cola e vidro moído e consegue cortar blocos de isopor e até mesmo garrafas plásticas. Já a linha chilena é comprada pronta, tanto em lojas de aviamento quanto em redes sociais. Ela é feita com pó de alumínio e tem o poder de corte quatro vezes maior que o cerol. Dessa forma, quem é pego usando ou mesmo vendendo esses produtos devem ser penalizados.

Jornal Midiamax