Polícia

PM suspeito de matar colega já responde por lesão corporal e ameaça

Em 2013 espancou civis no Nova Lima e em 2015 ameaçou ex-mulher

Midiamax Publicado em 04/07/2017, às 17h13

None

Em 2013 espancou civis no Nova Lima e em 2015 ameaçou ex-mulher

O sargento César Diniz da Silva, 43 anos, suspeito de matar com três tiros o tenente João Miguel Além Rocha, 50 anos, no último sábado (1º), no Nova Lima, já responde por processos de lesão corporal e ameaça. Antes de se apresentar à Polícia Civil, na tarde de ontem (3), o militar foi ouvido na Corregedoria da PM, que abriu inquérito policial militar para apurar a conduta do oficial.

A princípio, segundo depoimento do sargento à Polícia Civil, a negociação de um veículo Nissan Tiida teria motivado a discussão entre os militares. No dia do crime, um jovem de 18 anos foi baleado. Um exame pericial deve comprovar se o jovem foi atingido por um dos disparos do sargento.

Indagada sobre o depoimento do militar na Corregedoria, a assessoria de imprensa da corporação, disse que diante do fato, um inquérito policial militar foi aberto para apurar a conduta do militar. A suspeita é apurada e pode decorrer no enquadramento do militar no regulamento disciplinar da instituição. O prazo é de 40 dias, mas pode ser prorrogado por mais 20.

Diniz se apresentou na 2ª Delegacia de Polícia Civil, na companhia do advogado Sebastião Francisco dos Santos Júnior, foi ouvido e liberado. A defesa reitera que o sargento não sabia que a vítima era um policial militar e que está “desolado”, com a situação.

PM suspeito de matar colega já responde por lesão corporal e ameaça

A segunda denúncia ocorreu no dia 26 de março de 2015, quando Diniz teria ameaçado a ex-mulher, com quem conviveu por 10 anos, obrigando-a se afastar do atual namorado ou “iria dar trabalho (sic)”.

O policial é lotado no Batalhão de Polícia Militar do Nova Lima, bairro onde reside. Atualmente, o PM está afastado de suas funções por conta do rompimento de um tendão da perna direita.

Jornal Midiamax