Polícia

PM deve reforçar policiamento na região da Gameleira após acordo na Justiça

Juiz reconhece a falta de efetivo, mas pontua que o serviço é da polícia

Midiamax Publicado em 04/07/2017, às 20h20

None

Juiz reconhece a falta de efetivo, mas pontua que o serviço é da polícia

A necessidade do reforço na segurança nos arredores do Centro Penal Agroindustrial da Gameleira de Regime Semiaberto, de Campo Grande, chegou á Justiça e após reunião realizada na tarde de ontem (3), segunda-feira, ficou acertado que o policiamento externo será revisado e reforçado pela Polícia Militar.

O acordo foi firmado com o Comando da Policia Militar, no gabinete do juiz Mário José Esbalqueiro Junior, da 2ª Vara de Execução Penal de Campo Grande, responsável pelo sistema semiaberto da Capital.

Segundo o juiz, a Agepen tem relatado a necessidade de reformular a segurança na parte externa da unidade penal e este serviço é de responsabilidade da Policia Militar.

A PM, por sua vez, alega que não tem estrutura e que o efetivo é reduzido. Além disso, ressalta que possui muitas atribuições que os torna pouco presentes em serviços como esse.

O magistrado reconhece a falta de efetivo, mas pontua que o serviço é da polícia. “Ocorre que a unidade Gameleira possui hoje cerca de 1.095 apenados e é de competência da PM fazer o trabalho de segurança externa”, afirma Esbalqueiro.

PM deve reforçar policiamento na região da Gameleira após acordo na Justiça

Jornal Midiamax