Polícia

Narcos disfarçavam cocaína em cartazes e mandavam pelos correios em MS

Cães da PRF flagraram o esquema

Diego Alves Publicado em 22/06/2017, às 22h22

None

Cães da PRF flagraram o esquema

Em ação de combate a ilícitos da Gerência de Segurança Empresarial dos Correios, o Grupo de Operações com Cães da Polícia Rodoviária Federal apreendeu cocaína impregnada em papéis de 25 cartazes promocionais e 14 painéis de decoração infantis, no Centro de Triagem dos Correios, em Campo Grande.Narcos disfarçavam cocaína em cartazes e mandavam pelos correios em MS

De acordo com a PRF, as fiscalizações das embalagens ocorrem permanentemente pela Empresa de Correios e conta com o apoio da Polícia Rodoviária Federal, nos Centros de Triagens e nas fiscalizações durante o transporte, nas rodovias federais.

Ainda segundo a PRF, o objetivo das ações integradas é impedir o transporte de ilícitos, como o tráfico de drogas, descaminho, tráfico de armas e outros ilícitos dissimulados em encomendas despachadas. As fiscalizações acontecem por ações planejadas, como no presente caso, mas também sempre que a PRF e os Correios recebem denúncias.

Após triagem dos Correios, que utiliza sistema de fiscalização com scanner, os cães da PRF realizam a fiscalização e identificam todas as embalagens que contenham ilícitos.

Nesta quarta, os cães de faro, K9 Maia e K9 Alpha, localizaram a cocaína impregnada nos 25 (vinte e cinco) cartazes promocionais das Olimpíadas Rio 2016, em dois volumes.

O remetente do primeiro volume estava em nome de um homem de que postou em uma agência de Corumbá com destino a Ontário, no Canadá. 

Já a segunda encomenda estava em nome de uma mulher também de Corumbá e destino final seria a cidade de Madri, na Espanha.

Já nesta quinta (22), em continuidade das ações de enfrentamento ao narcotráfico e demais ilícitos foram apreendidas 14 cartelas de itens (painéis de decoração infantis), cuja as folhas estavam impregnadas de cocaína. 

Neste caso as cartelas com cocaína eram conteúdos de encomendas que por algum motivo não foram entregues aos destinatários, bem como, em devolução aos remetentes, e assim, observados os prazos legais, tais conteúdos são doados à instituições de caridade e poderiam ser doados a crianças, caso não houvesse o controle feito durante as fiscalizações.

Todos os itens, com a droga, foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Federal de Campo Grande.

Jornal Midiamax