Polícia

Idosa espancada segue em estado grave e passará por novas avaliações médicas

A princípio, possível violência sexual foi afastada 

Clayton Neves Publicado em 13/08/2017, às 20h57

None

A princípio, possível violência sexual foi afastada 

A idosa apresentou ferimentos nas nádegas, corte na cabeça, inchaço na parte inferior dos olhos, corte na boca e sangramento nasal. Conforme socorristas não tinha sinais de violência nas partes íntimas, mas um exame detalhado poderá constatar.Idosa espancada segue em estado grave e passará por novas avaliações médicas

A idosa de 77 anos espancada e abandonada nua no Jardim Itamaracá, em Campo Grande, segue internada na área vermelha da Santa Casa. De acordo com a assessoria de comunicação do hospital, ela está consciente, porém respira com auxílio de máscara de oxigênio e aguarda nova avaliação médica.

A vítima, que apresenta diversos ferimentos no rosto, passou por primeira avaliação e a princípio foi descartada a necessidade de cirurgia para reconstrução facial. Em primeiro momento, equipe médica afastou a possibilidade de possível abuso sexual após realização de exame ginecológico.

A idosa segue tratamento com remédios para amenizar os ferimentos causados pela agressão. Os médicos aguardam evolução do quadro clínico, porém, novas avaliações médicas serão realizadas.

O caso

Uma idosa de 77 anos foi espancada e abandonada nua na Rua Padre Mussa Tuma, no Jardim Itamaracá, na manhã deste domingo (13), Dia dos Pais. Moradores vestiram a vítima e suspeitaram de estupro.

Conforme boletim de ocorrência, a PM foi acionada via 190 para dar apoio a uma ocorrência de estupro no bairro. No local, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) realizava atendimento à vítima, que estava com vários ferimentos pelo corpo e cabeça, mas a enfermeira da ambulância não havia constatado violência nas partes íntimas.

A idosa apresentou ferimentos nas nádegas, corte na cabeça, inchaço na parte inferior dos olhos, corte na boca e sangramento nasal. Conforme socorristas não tinha sinais de violência nas partes intimas, mas um exame detalhado poderá constatar.

Apesar dos ferimentos, a vítima estava consciente e disse aos socorristas, em poucas palavras, que retornava para casa após sair da casa da filha quando foi agarrada por duas pessoas, não identificadas. Idosa não soube dizer se foi estuprada.

Equipe da PM foi até a casa do neto da vítima e foi informada de que a idosa saiu de casa ontem, sábado (12), por das 22h para ir até a casa da filha e não retornou mais.

Vítima foi levada à Santa Casa. Um par de chinelos localizado em frente a um terreno onde estava a vítima foi apreendido e entregue na Depac (Delegcia de Pronto Atendimento Comunitário), da Vila Piratininga.

Jornal Midiamax