Polícia

Funcionário de siderúrgica morre após descarga elétrica em forno

Sindicalista diz que morte mostra ápice da falta de amparo da empresa 

Midiamax Publicado em 18/12/2017, às 19h11

None

Sindicalista diz que morte mostra ápice da falta de amparo da empresa 

O mecânico de manutenção, Lenine Rosa dos Santos, de 43 anos, morreu por volta da 01h desta segunda-feira, 18 de dezembro, enquanto realizava manutenção no topo do forno da usina siderúrgica Vetorial, em Corumbá, a 444 km de Campo Grande.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Siderúrgicas de Corumbá e Ladário, Johans Rogério Loureiro, conversou com o Diário Online e informou que o trabalhador teria recebido uma descarga elétrica no momento em que realizava o trabalho.

Ele foi levado vivo para receber atendimento médico na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Guatós, porém, não resistiu. Segundo o sindicalista, Lenine estava há cerca de cinco anos na empresa e deixou esposa e três filhos.

Ações na Justiça

Loureiro revela que a situação representa o ápice da falta de amparo da empresa para com os 235 funcionários. “Estamos com uma situação difícil com esta empresa. Há várias ações na Justiça contra ela, os trabalhadores estão Funcionário de siderúrgica morre após descarga elétrica em forno

O sindicado deve acompanhar a investigação. Esta é a primeira morte registrada em sete anos de operação da Vetorial na região. A empresa começou a operar em maio de 2010, depois de comprar a usina de ferro-gusa da MMX.

O Instituto Médico Odontológico Legal (IMOL) de Corumbá deve emitir em até dez dias o laudo do exame de necropsia feito no corpo do mecânico de manutenção.

O outro lado

Em nota, a advogada da Vetorial, Tainara Torres, disse que a causa da morte ainda está sendo apurada e que o funcionário usava todos os equipamentos de segurança durante a manutenção. Confira a íntegra da nota: 

“A empresa Vetorial Siderurgia, com profundo pesar informa que, lamenta muito o acidente ocorrido com o colaborador Lenine Rosa dos Santos, sendo que a causa mortis ainda está sendo apurada, e ainda não é possível concluir se a mesma foi oriunda de descarga elétrica, como afirmado pelo Presidente do Sindicato dos empregados, ou se deu por outros motivos.

Informamos ainda que, o trabalhador usava todos os equipamentos de segurança necessários, com a supervisão, coordenação e apoio necessários à operação que estava sendo realizada. Ademais, ainda não houve indícios de qualquer irregularidade apurada no turno do referido colaborador, haja vista que a empresa sempre pautou as suas ações na estrita observância a legislação de saúde e segurança dos trabalhadores.

Por fim, concluímos que todos os fatos estão sendo devidamente apurados, e a empresa está prestando todo apoio à família do trabalhador e aos demais colaboradores.”

Acidente em Aquidauana

​Um acidente na siderúrgica Simasul, em Aquidauana, a 143 km de Campo Grande, na manhã desta quarta-feira (06) matou um funcionário terceirizado e deixou outros oito feridos.O trabalhador identificado como Fernando Fausto, de 27 anos, fazia reparo e manutenção na montagem industrial, quando inalou monóxido de carbono, gás da queima de carvão.

Jornal Midiamax