Polícia

Dupla encapuzada mantém família refém em SP e é presa em MS

 Família da cidade de Andradina (SP)

Diego Alves Publicado em 13/12/2017, às 01h44

None

 Família da cidade de Andradina (SP)

A Polícia Militar de Três Lagoas, cidade a 325 quilômetros prendeu dois suspeitos de assaltar uma residência e manter uma família refém no bairro Santa Cecília, em Andradina (SP). A prisão aconteceu na tarde desta terça-feira (12).
Segundo o site JPNews, entre os reféns que foram amarrados, havia duas crianças, uma de 14 anos e outra de 11 anos. Encapuzados e armados, a dupla roubou objetos e também uma camionete, que foi usada para fuga e transporte dos pertences.Dupla encapuzada mantém família refém em SP e é presa em MS

Segundo o delegado títular da 2ª Delegacia de Polícia, Juvenal Martins, o assalto aconteceu por volta das 7h desta terça, em uma residência que fica próxima a casa de um dos envolvidos na ocorrência. 
A dupla de 23 anos e 29 anos entrou na casa pela portão dos fundos e rendeu a proprietária, de 36 anos. Os criminosos amarraram as mãos e amordaçaram a mulher e dois filhos e os trancou num dos quartos. Quando a empregada chegou, tamparam seu rosto, mas, não a amarraram. 

Após recolherem telefones celulares, roupas, jóias e equipamentos eletrônicos como TVs e impressora, carregaram a caminhonete. A família afirmou em depoimento à polícia, que havia um terceiro assaltante envolvido. A mulher conseguiu se soltar e ligar para seu esposo, que acionou a polícia. Na fuga, os assaltantes baterem o veículo e o abandonaram no bairro Jupiá, em Três Lagoas.

Testemunhas suspeitaram de dois rapazes que deixaram o veículo danificado na via e ligaram para a Polícia. Em buscas pela ruas próximas do local, os militares avistaram os dois suspeitos, que usavam as roupas recém roubadas da residência, em Andradina e acabaram detidos. Ambos foram reconhecidos tanto pelas testemunhas três-lagoenses, como as vítimas de Andradina. 

Eles foram encaminhados para a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac), onde foram interrogados pelo delegado Juvenal Martins. Apesar de usarem as roupas das vítimas, ambos disseram que não participaram do roubo e que apenas passavam pelo local e, por serem ‘negros’, foram abordados pelos policiais. Nenhum dos suspeitos portavam documentos e disseram nomes que a Polícia acredita ser falsos. 

Os capuzes e as armas usadas no assalto, tampouco um terceiro suspeito de envolvimento no crime, ainda não foi localizado pela Polícia. 

Jornal Midiamax