Polícia

Vizinho se diz surpreso com prisão de casal suspeito de torturar menino

Ele sabia que os vizinhos eram envolvidos com 'magia negra'

Renata Portela Publicado em 24/02/2016, às 13h38

None
casa4.jpeg

Ele sabia que os vizinhos eram envolvidos com 'magia negra'

Vizinho do casal suspeito de torturar o sobrinho de 4 anos, uma mulher de 31 anos e homem de 46 anos, contou ao Jornal Midiamax que ficou surpreso com a notícia da prisão. Marco Maciel, de 46 anos, é morador da vila de casas onde a família morava e também filho da proprietária do local.

De acordo com Marco, ele mora ao lado da casa onde viviam os tios do garoto de 4 anos e afirma que, nas duas últimas noites, ouviu o choro da criança, mas não se atentou ao fato. “Achei que era normal, que a criança poderia estar doente”, diz o vizinho, que não suspeitou de maus-tratos.

Ainda segundo Marco, o casal mora na vila há aproximadamente 2 anos. “Eles são reservados e não mantinham muito contato com os vizinhos”, conta. Segundo o morador, o homem e a mulher seguiam sempre do trabalho para casa e de casa para o trabalho e nunca apresentaram atitudes suspeitas.

Marco ainda contou ao Midiamax que sabia do envolvimento dos vizinhos com algum tipo de 'magia negra'. Ele afirma que já viu movimentação de outras pessoas na casa e também velas pretas, entre outros objetos que levantassem suspeita de que o casal fazia algum tipo de ritual. Porém, o vizinho não suspeitava que eles maltratavam a criança.

Segundo Marco, a mãe dele já está sabendo do caso e pedirá que a família desocupe a residência o mais rápido possível, pois tal atitude foi considerada inaceitável para a convivência no local.

Tortura

Criança de 4 anos foi resgatada na noite desta terça-feira (23) pelo Conselho Tutelar depois da constatação da pratica de tortura pelos tios, que tem a guarda do menino desde maio de 2015. A criança foi levada para o Hospital Santa Casa por volta das 18 horas.

Com várias lesões pelo corpo, o menino segundo informações da conselheira tutelar, Cassandra Szuberski, deve perder a visão dos dois olhos. Além de lesões nas costas e pescoço, a unha do dedão esquerdo do pé foi arrancada. O menino ainda tem uma irmã, que está no abrigo, mas só ele morava com os tios.

O casal, de 31 e 46 anos, que tem a guarda do sobrinho, tem duas filhas de 9 e 12 anos de idade, que afirmaram aos policiais que constantemente eram deixadas sozinhas pelos pais. A avó materna das meninas, que mora em Aquidauana, foi localizada e deve chegar a Capital para buscar as netas.

Na residência que fica na região central de Campo Grande, foram encontrados dois celulares, R$ 402, pulseiras de miçangas, patuá e um boneco, que segundo informações eram usados em prática de magia negra. Para os policiais, os tios do menino afirmaram que a criança teria sofrido uma queda, razão pela qual estava machucada, mas logo em seguida a tia do menino entrou em contradição afirmando que ele teria se queimado ao alimentar-se.

Os tios depois de tentarem negar as torturas acabaram confessando as agressões ao menino, que já teve água quente jogada na cabeça. A justificativa para o crime seria 'o diabo', como disse a tia. Segundo a mulher, o casal ouvia vozes, que eram do diabo, e por isso praticavam as torturas. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro e deve ser repassado para a Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente).

Jornal Midiamax