Tenente-coronel diz que marido ameaçou pegar a arma no carro para matá-la

Major da PM foi morto com tiro no tórax
| 13/07/2016
- 17:56
Tenente-coronel diz que marido ameaçou pegar a arma no carro para matá-la

Major da PM foi morto com tiro no tórax

A tenente-coronel Itamara Romeiro Nogueira esteve no Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) na manhã desta quarta-feira (13), acompanhada do advogado José Roberto Rosa. Em conversa que teve com o advogado, a militar afirmou que atirou no marido, o major Valdeni Lopes Nogueira, para se defender de uma ameaça de morte.

Segundo o relato da policial ao advogado, o ato foi uma reação contra um caso de violência doméstica. A defesa trata o caso como legítima defesa, já que Itamara afirma ter sido agredida, em mais de uma ocasião, pelo marido. No dia do crime o casal teve uma discussão por conta de uma viagem que fariam hoje para Maceió (AL) e que o marido teria desistido de ir.

De acordo com a tenente-coronel, ela já foi vítima de agressão pelo marido em outras ocasiões e eles tentavam reatar o relacionamento, que não ia bem. Na tarde de terça-feira os dois iniciaram uma discussão e Itamara diz que foi agredida com socos e tapas. Ela acusa Valdeni de ir até o carro dizendo que pegaria a arma para matá-la, quando teriam ocorrido os disparos.

Itamara atirou duas vezes. Um tiro atingiu o tórax do major da PM, que morreu enquanto passava por cirurgia na Santa Casa de Campo Grande. Além da alegação de legítima defesa, o advogado também entrará com pedido de liberdade provisória e, enquanto isso, a policial ficará sob custódia em um quartel da Polícia Militar.

Ainda nesta manhã o advogado José Roberto falará com o delegado responsável pelo caso, Cláudio Zotto, da 7ª Delegacia de Polícia Civil, para apurar o que foi registrado até o momento. Há informação de que Itamara chegou a ir até a delegacia para ser ouvida, mas passou mal e foi levada novamente ao hospital.

Relembre o caso

O crime aconteceu na residência do casal, na Avenida Brasil Central no Bairro Santo Antônio. Segundo a polícia, os dois militares teriam se desentendido e durante a briga a tenete-coronel da Polícia Militar efetuou dois disparos contra do marido, um deles atingiu o tórax da vítima. O Corpo de Bombeiros foi acionado e encaminhou o major para Santa Casa.

Depois do crime, a policial permaneceu dentro da residência ameaçando cometer suicídio. Familiares de Itamara, a advogada e o comandante do 1º BPM (Batalhão da Polícia Militar), major Ajala, foram até o local e conseguiram negociar para que ela se entregasse.

Para colegas de trabalho dos policiais, o caso surpreendeu, já que o casal era tranquilo. Itamara, que estava lotada no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, foi descrita pelos amigos como uma esposa amorosa.

Veja também

Dupla pratica sexo em banheiro de praça pública da cidade

Últimas notícias